Codema libera continuidade das obras do Mart Minas em Divinópolis


Em reunião virtual realizada na manhã desta quinta-feira (27), os membros que fazem parte do Conselho Municipal de Meio Ambiente (CODEMA), após o pedido de vista feita pelo conselheiro Pedro Paulo Pozzolini que ocorreu em reunião anterior, após  ter conseguido sanar suas dúvidas que tinha a respeito do empreendimento, os Pedidos de Licença Prévia (LP) e o de Licença de Instalação (LI) foram colocados em apreciação e aprovados por todos os conselheiros, desta forma liberando a continuidade das obras de construção de mais uma loja do Mart Minas em Divinópolis.  

O conselheiro Pedro Paulo Pozzolini, representante da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB/MG, emitiu ainda no dia 5 de maio o seu relatório ao parecer técnico, tendo em vista ele ter pedido vista na reunião realizada anteriormente pelo CODEMA.

Pedro Paulo no texto inicial do seu relatório afirmou: “Inicialmente para afastar de pronto qualquer alegação de que este Conselho e/ou a SEPLAM são um atraso no desenvolvimento da cidade, é imperioso informar o cronograma do empreendimento e suas fases junto a todos os órgão municipais responsáveis pela análise do mesmo como um todo”

A seguir, o conselheiro citou todas as fases de análise do processo administrativo da Murol Empreendimentos a holding do Supermercados Mart Minas, deixando claro que não houve atraso por parte do CODEMA. O que ocorreu é que a partir da intervenção do Ministério Público Estadual e a aprovação do projeto de incêndio do Corpo de Bombeiros se passaram um ano e onze meses. Sendo que um ano foi por questões do MP e 11 meses do CBMG (veja relatório anexo)

Além dos problemas dos resíduos da construção civil, o conselheiro falou também sobre o impacto no sistema viário, explicando que o empreendimento deverá realizar diversas intervenções na sua área de abrangência (veja relatório anexo)

 

5 comentários em “Codema libera continuidade das obras do Mart Minas em Divinópolis

  • 28 de maio de 2021 em 11:41
    Permalink

    Bom dia,

    porque todos os setores de fiscalização e regulação do setor do meio ambiente e posturas de MG e Divinópolis, fazem vistas grossas com as siderúrgicas e tem ate juizes dando harbeas corpus para funcionar?
    No bairro Icaraí tem uma que nao liga os filtros, nao atende nenhuma norma ambiental, todo dia passa na porta varias viaturas do meio ambiente para abastecer e nao tem coragem de fazer nada.
    Nem as ONGS, nem prefeitura e ninguem.
    quando o ABC quis fazer uma obra ao lado a midia inteira foi pra cima, mais niguem enxergou a poluição do vizinho ou nao daria IBOPE.
    Sabia escolha do senhor Valdemar, pois se tivessem aberto o novo abc aqui , ele desistiria no primeiro mes devido a sujeira do entorno da siderurgica.

    Resposta
  • 28 de maio de 2021 em 11:33
    Permalink

    Ja que foram pagas todas as taxas e multas, segue o baile. daqui a pouco tem mais….

    Resposta
  • 28 de maio de 2021 em 10:53
    Permalink

    Prefeito e presidente da câmara estavam presentes na reunião como forma de pressionar o Conselho. Esta é a primeira vez que participam de uma reunião do CODEMA. Tão logo o projeto foi aprovado, o prefeito desligou a sua câmera.
    Você cidadão, que tem processo no CODEMA, e que também quer essa “prestígio” fique a vontade para solicitar esses políticos!
    Se isso não é politicagem, não sei mais o que é!

    Resposta
  • 27 de maio de 2021 em 19:55
    Permalink

    Parabéns, meu irmão! Divinópolis, como um todo merece e exige respeito de quem quer que seja, principalmente de seu gestor maior, que ao meu ver está se embebadando com o poder.

    Resposta
  • 27 de maio de 2021 em 16:52
    Permalink

    Tem que se destacar não apenas os impactos viários e resíduos de construção civil. Uma área de preservação ambiental foi detonada pelo fato de estar em área ocupação antrópica consolidada, laudo produzido pela consultoria contratada pelo empreendedor e que o Promotor dr. Alessandro Garcia aceito depois de desconsiderar o laudo técnico da dos agentes da prefeitura e dois laudos periciais dos técnicos do própria MP que foram desfavoráveis a intervenção na APP – área de preservação permanente. Agora duas nascente vigorosas vão estar sob ameça de serem extintas devido a especulação imobiliária no entorno do empreendimento. Não foi surpresa o CODEMA liberar o empreendimento isso, é fato corriqueiro dentro deste conselho quando se trata principalmente de empresários influentes na cidade. Surpresa seria se o CODEMA não liberasse, assim estaria fugindo do trivial.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  −  1  =  1

PODCAST: escuta essa!!