Café com Leitura, por Gra Castro: traz hoje uma sugestão para os amantes de suspense


Charlie Donlea virou sinônimo de histórias carregadas de mistérios com reviravoltas eletrizantes. Em “Uma mulher na escuridão” o autor mantém sua fama e prende o leitor até as últimas páginas – Outra característica da escrita que já virou marca registrada de Donlea é a alternância na narrativa entre passado e presente. Em “Uma mulher na escuridão”, o autor conta duas histórias, uma que se passa em 1979 e outra em 2017. Os acontecimentos do passado se cruzam e afetam diretamente as pessoas no tempo atual.

Em 1979 uma série de sumiços de mulheres aterrorizam a cidade de Chicago. Cinco mulheres desaparecidas, nenhuma pista, nenhum corpo. A polícia chama o assassino de Ladrão. Angela Mitchell, uma mulher de personalidade não compreendida na época, começa uma investigação por conta própria, reúne provas e garante que descobriu a identidade do assassino. Antes que pudesse provar sua teoria, ela desaparece. O homem é preso condenado apenas pela morte de Angela, cujo corpo nunca foi encontrado. O Ladrão afirma que a mulher está viva.

Em 2017 conhecemos Rory, uma mulher que sofre de transtorno obsessivo compulsivo, ansiedade e dificuldade de socialização; extremamente apegada aos detalhes e super concentrada, é também uma excelente investigadora forense. Quando o pai de Rory morre, cabe a ela, que também é advogada, assumir o último caso do pai ainda em andamento: a liberdade condicional do Ladrão depois de 40 anos preso.

À medida que Rory mergulha na investigação, vai descobrindo detalhes sobre sua vida, sua origem e seu passado, até então, escondidos, e se vê cada vez mais imersa na trama. Uma história que nos faz questionar até que ponto conhecemos realmente as pessoas mais próximas a nós.

O autor vai deixando pistas e um leitor mais atento e apaixonado por suspense é bem capaz de desvendar o mistério antes do fim da história. Eu confesso que no meio do livro já consegui traçar uma teoria e acertei em cheio, o que não tirou nada do brilho da trama e do desenrolar da narrativa. Adorei ir acompanhando todos os personagens acompanhando os segredos de suas próprias vidas sendo revelados.

Esse é meu terceiro contato com Charlie Donlea e já virei fã! Leitura obrigatória para os amantes de suspense.

E você, conhece algum livro do autor?  Qual seu livro de suspense preferido?

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  44  =  47