VACINAÇÃO: Receitas e laudos falsos de comorbidades estão sendo investigados pela Prefeitura de Divinópolis; Homens se cadastraram como mulheres grávidas


A  Prefeitura de Divinópolis na última segunda-feira (24) convocou entrevista para explicar sobre as diversas denúncias que tem recebido de irregularidades nas aplicações das vacinas. Conforme informado, pelo menos 200 pessoas teriam fraudado documentos, laudos e receitas médicas para furar a fila da vacinação contra à Covid, algumas se passando por pacientes com comorbidades ou mesmo tendo acesso a funcionários da área de saúde com o objetivo de tirar vantagens, além de homens que tentaram se passar por mulheres grávidas.  A vice-prefeita Janete Aparecida acompanhada do Assessor Especial do Governo, Fernando Henrique Costa e a Diretora da Vigilância Sanitária, Érica Camargos falaram a respeito dessas situações.

Vigiar e Punir

Janete destacou que houve uma reunião com a Promotoria de Saúde no Ministério Público e que, a partir de agora as que forem se vacinar além de levarem laudos médicos, elas também deverão assinar um termo de responsabilidade, no qual deverão preencher quais medicamentos fazem uso e qual a comorbidades elas possuem. O documento que terá formulário disponibilizado no site da Prefeitura deverá ser impresso, preenchido e assinado. Nele deverá estar grampeado a receita dos remédios ministrados e o laudo assinado pela profissional de saúde a qual atestou a doença do paciente. Os papéis ficarão retidos no ato da vacinação.

Já segundo o Assessor Especial do município, Fernando Henrique, o único grupo onde não houve tentativa de fraudes foi no das pessoas de mais idade. “As pessoas idosas, de 60 anos ou mais não houve problemas. Mas na medida que a faixa etária foi descendo, as tentativas percebemos que as tentativas de fraudes subiram. Estamos reparando que quanto mais novas as pessoas, mas doentes elas estão. Completamente fora do esperado. Tanto quem forneceu laudos fraudulentos como quem fez o uso deles em benefício próprio ou de terceiros pode até mesmo ser enquadrado em dois tipos de crimes, sendo falsidade ideológica e uso de documentos falsos, podendo pegar penas de 2 a 5 anos”, revelou.

Denúncias das próprias famílias

Ainda de acordo com a vice-prefeita, gente das próprias famílias tem acionado a Prefeitura para denunciar as tentativas de golpe para se vacinar. “Muita gente tira foto, filma e posta quando se vacinam e aí muitas pessoas das próprias famílias tem nós procurado para relatar que aquelas pessoas não deveriam estar se vacinando. Estão nos cobrando por algo que não é nosso. Por isso estamos tomando as devidas medidas para coibir essas possíveis fraudes e assim a Polícia e o Ministério Público vão fazer com que essas pessoas respondam pelos atos fraudulentos. Divinópolis ainda não tivemos tais atos comprovados, mas estamos fazendo uma triagem mais dura pra antecipar que não haja isso.”, disse Janete.

Quem pode ter fraudado e vacinado

Questionada, Janete ressaltou que as possíveis fraudes estariam em pessoas que se passaram por grupos prioritários, trabalhadores da área da saúde na linha de frente e estagiários da enfermagem e medicina. Roberto Freitas, que é responsável do T.I. na prefeitura, contou até que 17 homens teria se cadastrado como mulheres e grávidas. Como atua diretamente no setor dos cadastro, segundo ele, o alto número de cadastramentos atípicos ou incompatíveis, tem causado transtornos no sistema e consequentemente na celeridade do plano de imunização.

Possíveis fraudes em hospital

A vice-prefeita foi perguntada ainda a respeito de uma denuncia feita pelo vereador Roger Viegas (Republicanos) na Câmara de Divinópolis, a qual o edil levantou que profissionais de um hospital da cidade teriam cometido fraudes para furar a fila dos grupos prioritários na vacinação. “Não chegou pra gente nenhuma denúncia oficialmente. Não sei o que ele falou. Nunca acompanhei nenhuma reunião da Câmara desde quando cheguei aqui, até mesmo pela questão do tempo. Qualquer denúncia que chegar aqui, seja de vereador ou de qualquer cidadão, nós vamos apurar.”, finalizou Janete.

6 comentários em “VACINAÇÃO: Receitas e laudos falsos de comorbidades estão sendo investigados pela Prefeitura de Divinópolis; Homens se cadastraram como mulheres grávidas

  • 25 de maio de 2021 em 16:25
    Permalink

    Ótima matéria!

    Resposta
  • 25 de maio de 2021 em 14:51
    Permalink

    No ato do cadastro, aparecia três opções em um quadrado apenas. Eram elas. Gestantes, pessoas com comorbidades e idosos. Por isso que apareceu homens juntos com gestantes. É só verificar os dados dos 17 homens, todos eles com comorbidades. Não houve fraude aí.

    Resposta
  • 25 de maio de 2021 em 08:25
    Permalink

    Os motorista nao qualificados na prefeitura esta em todos os setores e so o mp ir. E confirmar

    Resposta
  • 25 de maio de 2021 em 04:37
    Permalink

    E por esse povo todo o prefeito ataca os professores, como fez nos stories do Instagram ?Calllmaaaa Gleidson Casaallmaaaaaa

    Resposta
  • 25 de maio de 2021 em 04:35
    Permalink

    Não entendi qdo Janete fala que descobriram que os mais jovens estão com mais comorbidades! Uai, para os de 60 anos ou mais não foi necessário provar comorbidades: vacinaram pela idade, com comorbidades ou não !

    Resposta
  • 24 de maio de 2021 em 22:49
    Permalink

    E o prefeito falando mal dos professores. Isso que é valorização !

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

51  +    =  59