Servidores da Secretaria de Saúde de Divinópolis além de glomerados em exíguos espaços no Centro Administrativo sofrem assédio moral


De acordo com a assessoria de comunicação do SINTRAM, após denúncia de vários servidores sobre as condições em que os colocaram para trabalhar no Centro Administrativo, em consequência da mudança do local da Secretaria de Saúde, que deixou o endereço da Rua Minas Gerais, no centro e foi transferida para o alto da Paraná, os diretores do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Sintram) estiveram nesta terça-feira (2) no local, e constataram in loco que foi tudo improvisado, e com risco de saúde para os servidores, pois estão amontoados, com pouco espaço entre as mesas com risco de contágio pelo coronavírus – O Sintram também constatou o assédio moral com autoritarismo e truculência de chefes que na visita dos representantes do sindicato impediram que os servidores prejudicados dessem informações aos diretores do sindicato

Além do desrespeito às normas de segurança contra a covid-19, os sindicalistas também observaram que o espaço reduzido vai prejudicar o bom desempenho profissional, além de inibir o acesso da população, já que a Semusa ficou dividia entre os 3º e 4º andares.

A mudança e endereço foi feita tão sem planejamento, que por falta e espaço nos andares onde foram alojados os setores administrativos da Semusa, parte da Vigilância Sanitária será instalada na garagem do Centro Administrativo.

“Economia às custas da saúde do servidor?”, interroga o vice-presidente do Sintram, Wellington Silva. “O governo municipal mostra indiferença e desprezo com a saúde e a vida dos servidores, quando determina a volta da carga horária de oito horas diária e aumenta o número de servidores em salas reduzidas. O momento agora é para preservar vidas e não pensar em economia, porém o Executivo age de forma contrária ao que recomendam autoridades de saúde pública do país inteiro”, afirma o vice-presidente.

Para Wellington Silva, o que foi constatado pelo Sintram é, no mínimo, muito preocupante. “Essa foi nossa primeira visita ao Centro Administrativo após a chegada do novo governo. É preocupante constatar que o patrão não está minimamente preocupado com a saúde do seu funcionário, promovendo aglomeração no local de trabalho, enquanto suas equipes de saúde preconizam o contrário. Também é preocupante verificar que, em nome de uma economia duvidosa, já que ninguém ainda apresentou números sobre os valores que serão economizados com essa mudança, o Executivo imponha aos servidores condições inadequadas de trabalho, seja pela falta de espaço, seja pelo amontoado de gente em um único setor, ou pelo aumento considerável do risco de contágio. Vamos estudar se há algo que possa ser feito, talvez através de argumentações práticas, mas o certo é que alguma coisa precisa ser feita em nome da saúde do servidor e, principalmente, em nome da capacidade de prestação de serviços decentes à população”, afirmou o vice-presidente do Sintram.

A inspeção feita nesta terça-feira No Centro Administrativo pelos diretores do Sintram, além de atender aos servidores da Semusa, também faz parte das inspeções que o Sindicato vem fazendo desde o ano passado em diversos setores a Prefeitura para verificar o uso de equipamentos de proteção individual e medidas de segurança para evitar o contágio pela covid-19. As inspeções atendem a pedido do Ministério Público do Trabalho, que instaurou um inquérito para verificar se o município está cumprindo todas as medidas de segurança. “O que nós estamos constatando na comparação com as inspeções feitas no ano passado, é que ao contrário de melhorar, a situação a cada dia continua piorando”, finalizou Wellington Silva.

17 comentários em “Servidores da Secretaria de Saúde de Divinópolis além de glomerados em exíguos espaços no Centro Administrativo sofrem assédio moral

  • 5 de fevereiro de 2021 em 05:00
    Permalink

    Acorda servidor!!!
    É a tática do Bozonaro com idosos .
    Quanto mais aglomeração mais mortes
    Menos salários a serem pagos

    Resposta
  • 4 de fevereiro de 2021 em 20:30
    Permalink

    Votem mais no fabiano e jaiminho agora e so pedir socorro a eles

    Resposta
  • 4 de fevereiro de 2021 em 10:29
    Permalink

    Bem vindos a realidade das empresas brasileiras onde o dono tem que se virar para pagar salarios e encargos, tudo dentro da normalidade. funcionario publico tem de trabalhar mesmo.

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 20:55
    Permalink

    O servidores estão sendo humilhados, sofrendo assédio moral o tempo todo, tendo que desempenhar várias funções com ameaça de que não estiver satisfeito com a arrogância e despreparo da atual administração, que solicite a exoneração do cargo. Cadê o sindicato, ministério público e do trabalho para fiscalizar?

    Resposta
    • 4 de fevereiro de 2021 em 15:26
      Permalink

      Se você tivesse prestado a atenção no que leu, teria percebido que essa matéria foi produzida pela Assessoria de Imprensa do Sintram e informa que a diretoria esteve no local para uma inspeção e analisar quais medidas poderão ser adotadas.

      Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 19:16
    Permalink

    Cadê os vereadores? Pra fiscalizar esse executivo ditatorial?

    Resposta
    • 3 de fevereiro de 2021 em 22:28
      Permalink

      Virou um conchavo total, ninguém enfrenta os Azevedos, não tem e não terá oposição.

      Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 18:29
    Permalink

    Desse jeito! Começou bem o governo na Azevedolândia…

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 17:46
    Permalink

    Novos tempos de escuridão. O clã Azevedo querendo aparecer a qualquer custo. E estão sim atingindo os menos informados. O que intriga é que ja buscam outros colégios eleitorais, pois todos sabem que agora ficarão exposto ao fracasso, e videozinhos de efeito atinge outras regiões do estado e ate do Brasil, para alcançar novos votos, pq a região centro oeste ja, ja sabera que política agressiva é essa que so visa o proprio bolso, e logo os menos informados também saberá toda verdade. Aguarde pelo menos 1 ano.

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 17:19
    Permalink

    Aumentou 2 horas na jornada de trabalho em plena pandemia. Cada servidor voltará a receber 4 (ou 8) vale-transportes. São mais ou menos 2.000 servidores. Recebendo 8,00 a mais por dia, ou seja 16.000,00 por dia, 350.000,00 por mês. Que economia é esta?

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 17:02
    Permalink

    Tão reclamando do w que ué?
    Segundo Prefeito eles são uns parasitas,não fazem nada

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 16:39
    Permalink

    uai ,mais não é esta a administração que iria valorizar o servidor?

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 16:18
    Permalink

    Isso é otimo pra eles aprenderem a votar.

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 15:10
    Permalink

    Fiscalizem mesmo pq virou um amontoado de gente por m2. Economia na base do sacrifício dos servidores. Um absurdo. Insalubridade moral. Economia porca.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  55  =  64