Quatro meses após desabamento de parte do cemitério do Centro, famílias cobram justiça por corpos que ainda estão nos escombros


Em última reunião ordinária, realizada na Câmara Municipal de Divinópolis, nessa quarta-feira (10), o vereador Roger Viegas (Republicanos) relembrou uma grande tragédia ocorrida no início desse ano e ainda segue sem solução: o desabamento de jazigos no Cemitério Municipal “da Paz”, no Centro.

O parlamentar relembrou a dor das famílias, ao serem informadas que no dia 31 de janeiro, 30 jazidos do cemitério desabaram, devido à uma obra irregular na divida do local. A tristeza veio com a informação de que os restos mortais de vários corpos, que estavam nesses sepultamentos, se misturaram aos escombros.

Na época, a Prefeitura havia alegado que a obra já havia sido embargada pela Procuradoria Geral do município. E no dia 03 de fevereiro, após reunião com representantes da empresa responsável pela construção e parentes das pessoas sepultadas, a Prefeitura informou que criaria um canal direto com a administração e que a empresa daria total apoio e colaboração em todas as decisões tomadas, além disso, os restos mortais que estavam em meio aos escombros, seriam retirados o “mais breve possível”, para que os familiares pudessem enterrar novamente seus entes.

Algo, que segundo Roger, não aconteceu até o momento. “Várias reuniões realizadas, e nada foi resolvido. Um verdadeiro jogo de empurra-empurra entre prefeitura e construtora, demonstrando uma total falta de respeito com esses familiares que estão com um sentimento de luto eterno, pois, não sabem se, e, quando terão de volta os restos mortais dos parentes sepultados para enterrá-los novamente. As famílias foram obrigadas a formarem uma comissão e contratar um advogado, pagando dos próprios bolsos as despesas, para tentar alguma solução pela justiça. Mas, infelizmente, como sabemos, a justiça é morosa, e o luto dessas pessoas continuam sem fim”, disse me plenário, Viegas.

Até o momento, não há um posicionamento sobre a liberação dos corpos da prefeitura ou da construtora, o que, conforme relata o vereador, faz com que desestabilizem as famílias que precisam lidar com a situação de saber que os restos mortais de seus entes, ainda se encontram sobre os escombros.

“Fui procurado por alguns familiares, que nos relataram essa situação, e que nos informaram que o Executivo está se escondendo atrás da pandemia para não apresentar nenhum plano de ação. Por isso, esses familiares marcaram para o próximo sábado uma manifestação através de uma carreata e tem todo meu apoio”, destacou Roger.

As famílias pedem o apoio e a compreensão da população, incluindo dos vereadores, para que a situação não caia em esquecimento e seja cobrada e solucionada. Ao final de seu pronunciamento o vereador Roger ainda solicitou ao presidente da Câmara, que fosse nomeada uma comissão para que todos possam acompanhar e apurar os fatos e os andamentos do processo.

A carreata organizada pelas famílias afetadas, saíra da rua Minas Gerais, ao lado do cemitério do Centro, às 10h, e percorrerá os quarteirões da região.

3 comentários em “Quatro meses após desabamento de parte do cemitério do Centro, famílias cobram justiça por corpos que ainda estão nos escombros

  • 14 de junho de 2020 em 09:24
    Permalink

    Mais quantos cemitérios vão desabar com a
    chapa para prefeito e vice . Leia-se Jaiminho e Tolentino.

    Resposta
  • 13 de junho de 2020 em 20:50
    Permalink

    Presidente da Câmara nada fará , pois tem amizade com Jaiminho Martins , a população é que tem de responder a está falta de respeito e não votar em nenhum membro desta família polêmica .

    Resposta
    • 14 de junho de 2020 em 19:30
      Permalink

      Como eu disse no passado, não vai dar em nada.

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!