PF em Minas deflagra “OPERAÇÃO SALOMON – 1º ATO” reprimindo posse de imagens com cenas de abusos sexuais explicitas de crianças


De acordo com informações da Superintendência Regional da Policia Federal em Minas, na manhã desta sexta (9), foi deflagrada a Operação “SOLOMON – 1º ATO”, com o objetivo de reprimir o compartilhamento e a posse de imagens e vídeos, contendo cenas de abusos sexuais e/ou sexualmente explícitas de crianças e adolescentes na rede mundial de computadores – Quatorze Policiais Federais foram empenhados na Operação, com o fito de dar cumprimento a dois mandados judiciais de busca e apreensão, expedidos pela 35ª Vara Federal da Seção Judiciária de Minas Gerais, em Belo Horizonte/MG. Nesta Capital, houve prisão em flagrante por posse de material contendo cenas de abusos sexuais e sexualmente explícitas de crianças e adolescentes, além de apreensão de um disco rígido (HD) de computador.

A Operação reuniu informações oriundas das Polícias da Espanha e da Suíça e alvos de investigações não relacionados entre si, mas que tratam da disseminação transnacional de arquivos ilícitos por meio da Internet.

Um dos autores – já identificado e preso – responderá pelos crimes de posse e compartilhamento de arquivos de “pornografia infantil”, com penas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente, variando de 1 a 6 anos de reclusão.

O nome da operação remete ao personagem das revistas Pulp, criado em 1929 pelo escritor Robert E. Howard (1906-1936), um aventureiro que combatia o mal em todas as suas formas. No Brasil, um filme de 2009 baseado no mesmo personagem ganhou o nome de SOLOMON KANE – O CAÇADOR DE DEMÔNIOS.

Ao longo de 2017, a PF em Minas Gerais cumpriu 27 mandados judiciais de busca e apreensão relativos ao tema, sendo que oito resultaram em imediatas prisões em flagrante por posse de arquivos ilícitos. A meta de 2018 é superar os números de cumprimento de mandados judiciais de busca e apreensão e prisões do ano anterior.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

COMENTÁRIO SEM IDENTIFICAÇÃO DO FACEBOOK