Por Gra Castro: O que acontece quando percebemos que o amor acabou? Café com Leitura traz um romance que vai nos fazer refletir sobre isso


Bom dia leitores. O Café com Leitura de hoje traz um romance que vai nos fazer refletir. O que acontece quando percebemos que o amor acabou?

Depois de 11 anos juntos, Lauren e Ryan percebem que seus olhos não brilham mais um pelo outro, o coração já não bate acelerado e até a simples presença do outro pode se tornar irritante. A convivência torna-se insuportável. E agora, o que fazer?

É possível se apaixonar novamente pela mesma pessoa, reascender a chama e resgatar o amor? Ou o melhor é deixar que cada um siga seu caminho? Lauren e Ryan decidem se afastar por 1 ano inteiro, sem nenhum tipo de contato. O que pode acontecer a partir daí?

Em “Depois do sim”, Taylor Jenkis Reid nos conta uma história de amor que pode ou não ter chegado ao fim, mas, sobretudo, nos apresenta uma jornada de autoconhecimento, busca por identidade, amadurecimento e ressignificação. Ao se afastarem, o casal descobre muito mais sobre si mesmo do que sobre o outro e o fim do percurso é transformador.

A história é narrada em primeira pessoa pela Lauren, o que nos permite viver junto com a personagem suas angústias por se ver no meio de um casamento que acabou, sua dor pela não aceitação do fim, mas também nos permite acompanhar todo seu processo de evolução e redescoberta de sua identidade.

Destaque para a construção dos personagens, principalmente as mulheres presentes na trama. A mãe, a irmã e a avó de Lauren são desenhadas acentuando suas diferenças de identidade, anseios, sonhos e as decisões que cada uma tomou ao longo da vida. O resultado são mulheres fortes e autênticas.

“Depois do sim” é um romance que nos faz refletir sobre nosso papel dentro de um relacionamento, nossa humanidade e fraqueza, a importância das pessoas que atravessam nosso caminho durante nossa jornada e o papel que cada indivíduo tem na construção do novo eu.

Com certeza indico a leitura para quer se aventurar por um romance gostoso, leve e nada óbvio. O amor romântico não é o foco em si, mas a sua reconstrução e ressignificado.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1  +  5  =