‘Imunidade’ para Covid-19 pode durar apenas três meses, indica estudo chinês


Os níveis de anticorpo encontrados em pacientes recuperados da Covid-19 diminuem dois a três meses após a infecção, de acordo com um estudo chinês publicado pela revista Nature Medicine. A pesquisa ainda é preliminar, mas já levanta dúvidas sobre a duração da imunidade sobre o novo coronavírus.

O estudo foi feito com 37 pacientes sintomáticos e 37 assintomáticos, em que 70% dos pacientes avaliados, houve uma redução acentuada dos anticorpos após 90 dias. De acordo com o trabalho, a maioria dos pacientes produziram anticorpos para o vírus, especificamente IgG e IgM, sendo os sintomáticos apresentando anticorpos de maneira mais ampla no grupo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda não é possível afirmar que as pessoas que já tiveram contato com o vírus estariam imunes e não teriam uma reinfecção. Por isso, a recomendação é que todas as pessoas que já ficaram doentes mantenham os cuidados, como o distanciamento social, higienização das mãos e uso de máscaras.

O infectologista e professor da UFMG, Unaí Tupinambás, explicou ao Jornal Hoje em Dia, que existe uma estimativa de que a pessoa que teve contato com o vírus tenha imunidade por pelo menos um ano, isso porque, a resposta imune celular deve ser levada em consideração, e não apenas a resposta mediada por anticorpos. “O título de anticorpo pode cair, como mostra essa pesquisa feita com casos pouco sintomáticos ou assintomáticos, mas assim que o organismo entrar em contato com qualquer epítopo (espículas) do vírus, haverá ativação das células de memória, e o título de anticorpo subirá rapidamente”, fundamenta o especialista.

Fonte: Hoje em Dia

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!