Mulher de Pompéu morre com suspeita de ter bebido a cerveja Belorizontina


Uma mulher de 60 anos que teria estado no bairro Buritis e consumiu a cerveja Belorizontina, logo a seguir começou a passar mal e morreu com insuficiência renal e nerológica, sintomas típicos da síndrome nefroneural – A morte teria ocorrido no dia 28 de dezembro, porém somente nessa terça-feira (14) a Prefeitura daquele município emitiu uma nota confirmando que a morte teria sido em consequência da doença   

Segundo o jornal O Tempo, a família registrou um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil nesta segunda-feira (13) para comunicar a morte da mulher com suspeita da síndrome. O órgão investiga se a doença nefroneural que surgiu no mês passado e fez, pelo menos, 17 vítimas está associada ao consumo da cerveja Belorizontina que estava contaminada com dietilenoglicol e monoetilenoglicol -substâncias muito tóxicas ao organismo que causam problemas neurológicos e renais graves.

De acordo com a enteada da idosa que pediu para não ter o nome revelado, a vítima esteve no bairro Buritis, região Oeste de Belo Horizonte, no dia 20 de dezembro e consumiu a belohorizontina. A partir da data, ela começou a queixar dores abdominais, a ter diarreia e vômitos. Ela foi embora da capital no dia 21 e seguiu para Pompéu.

A idosa continuou se sentindo mal e no dia 26 de dezembro quando ela deu entrada no Pronto Atendimento do Município onde o quadro clínico se agravou e ela morreu com insuficiência renal e alteração neurológica dois dias após a internação.

“Ela não tinha nenhum problema renal ou neurológico antes do ocorrido. Foi tudo muito rápido. Outras pessoas da família também consumiram a mesma cerveja, mas ninguém passou mal. No dia 20 de dezembro só ela consumiu a cerveja, os familiares beberam outros dias”, contou a enteada.

Autoridades avisadas

A prefeitura de Pompeu divulgou uma nota, nesta terça, dizendo que a morte com suspeita de síndrome nefroneural foi comunicada ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) e também às autoridades governamentais e policiais. Será preciso fazer a exumação do corpo da mulher para a realização de exames.

“No momento, toda a Secretaria Municipal de Saúde, Pronto Atendimento e familiares estão no aguardo de retorno do caso. Vale ressaltar que compete às autoridades de saúde hierarquicamente superiores o desenrolar dos fatos, além disso, das autoridades legais e de competência para as apurações”, diz a nota da secretaria.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!