Por Adriana Ferreira: Mordaça e subserviência


Absurda a Nota de Repúdio em desfavor do jornalista José Geraldo Passos, editor do site Divinews, feito pela Câmara de Vereadores de Divinópolis.  Claro que como defensora ferrenha do direito de ir e ir, do direito à livre manifestação do pensamento, não repudio a nota em si, afinal é livre manifestação. O que incomoda é que é um documento que visa o efeito mordaça, que é um atentado à liberdade da imprensa e demonstra claramente que um fez, com um conteúdo que nada tem a ver com os demais vereadores e estes simplesmente assinaram. Subserviência?!

Imprensa livre é coisa séria! É requisito do Estado Democrático de Direito. Calar a imprensa é Estado de Exceção. É o primeiro passo para amordaçar o cidadão. Se aceitarmos passivamente, daqui a pouco o legislativo municipal exigirá de nós, simples cidadãos, que sempre os elogiemos, mesmo que cometam abusos.  Teremos que tratá-los como divindades como já ocorre no Poder Judiciário, onde alguns juízes, felizmente minoria, se acham deuses e alguns têm certeza. Aliás, por falar em divindade, não poderia deixar de mencionar o ofício enviado pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, ao Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina por ocasião de um convite para solenidade de homenagem ao Ministro Jorge Mussi, do Superior Tribunal de Justiça. No ofício, o ministro declinava do convite porque feito por um integrante do cerimonial, pois segundo ele “integrante de cerimonial não se dirige diretamente a ministro do Supremo”. Afff!!

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!