Prefeito de Divinópolis veta Projeto que permitiria mesas e cadeiras bistrôs nas calçadas de bares da cidade; autor diz que veto será derrubado


O projeto de Lei de autoria do vereador Roger Viegas (PROS), que foi aprovado pela Câmara no dia 19 de março, e que permitiria a colocação de mesas e cadeiras do modelo bistrô nas calçadas dos bares da cidade, foi vetado pelo Prefeito Galileu Machado. O Divinews aguarda posicionamento da Prefeitura para saber a justificativa de veto do Executivo. Porém, segundo informações ainda não oficiais, o veto baseia-se na questão da Mobilidade Urbana que está no auge de sua discussão no municipio, que após ter o projeto aprovado em âmbito federal será fonte de recursos financeiros para a cidade. 

Posteriormente após ter enviado o veto, o Prefeito Galileu Machado, enviou ofício para a Câmara solicitando que o veto dele não fosse levado em consideração. Porém, esse tipo de pedido, não existe, vetou, vetou. Então o veto do Executivo terá que ser apreciado em plenário pelos 16 vereadores.

O vereador autor do Projeto, Roger Viegas, acredita que o veto do Prefeito deverá ser derrubado em plenário.

Leia a seguir a Justificativa do Executivo para o veto.

Leia também  

Câmara de Divinópolis aprova Projeto que permite uso maquinas de assar, cadeiras e mesas “bistrôs” nas calçadas

 

 

Imagem ilustrativa

 

5 comentários em “Prefeito de Divinópolis veta Projeto que permitiria mesas e cadeiras bistrôs nas calçadas de bares da cidade; autor diz que veto será derrubado

  • 5 de abril de 2019 em 08:53
    Permalink

    Calçada é feita para o que?

    Para que as pessoas possem caminhar e não para estabelecimentos comerciais possam usurpa-la.

    Aqui em Divinópolis é todo maluco, ta cheio de bar ai que toma a calçada inteira de cadeiras e mesas, e as pessoas tem que ir pela rua, ja vi pessoas idosas tendo que andar pela rua, pais com crianças, mães com carrinho de bebê fazer isso, e em muitos lugares as ruas são movimentadas e as pessoas são expostas a risco.

    O estabelecimento que dê o seu jeito e consiga receber seus clientes em uma área que seja deles e não num bem comum que é a calçada, a calçada é de todos e não do dono do imóvel, um comerciante não tem direito de tomar para si aquilo que é de todos.

    Imagina se for tornar isso oficial daqui a pouca esses vereadorezinhos ai vão querer permitir que lojas coloquiem produtos na calçada e logo depois vai ter gente se achando no direito de colocar moveis na calçada de sua casa.

    Resposta
  • 4 de abril de 2019 em 19:20
    Permalink

    No meu entender agiu certo .Afinal a calçada é do povo , (não de “Bistrôs ou edis ” ) parece q a maioria é contra , não deveria caber essa decisão à uns poucos , pois esses também deveriam ser responsáveis por acidentes futuros com pedestres de toda natureza, que envolvam calçadas ocupadas por comércio.

    Resposta
  • 4 de abril de 2019 em 16:36
    Permalink

    A cidade já é carente de lugar para frequentar, e o legislativo se ocupando de mesa e cadeira em passeios…. Cara o caso é de chorar….

    Resposta
  • 4 de abril de 2019 em 14:08
    Permalink

    Que frescura falar “bistrô”.

    É lanchonete.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  43  =  49