Moraes mandará prender Bolsonaro, apostam integrantes do governo que termina


Segundo uma matéria publicada pelo site ‘Metrópoles’, na coluna do jornalista Rodrigo Rangel, é relatado que Altos funcionários que acompanham investigações creem que o ministro do STF prepara ofensiva contra o ex-presidente e seu ajudante de ordens, e que a temporada de Bolsonaro na Flórida, nos EUA, dever ser bem menos tranquila do que ele imagina. 

Pelo menos essa é a aposta de alguns importantes auxiliares de seu governo que acompanham de perto, na medida do possível, os passos das investigações conduzidas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

À coluna, sob absoluta reserva, ocupantes de postos destacados na hierarquia do governo que terminou neste sábado, 31 de dezembro, dizem acreditar que Moraes está planejando a prisão de Jair Bolsonaro.

A dúvida é se o ministro expedirá a ordem por agora ou se optará por manter Bolsonaro sob sua alça de mira por mais algum tempo.

Ajudante de ordens

Se quanto a Bolsonaro há dúvidas sobre o timing da esperada ordem de prisão, em relação à turma que o ciceroneava em tempo integral no Palácio do Planalto o prognóstico beira a certeza.

A par do que de mais importante se passa nas investigações de Moraes, esses mesmos integrantes do governo que acaba de terminar, incluindo altos funcionários do Ministério da Justiça, dizem ter indícios de que haverá medidas duras contra o tenente-coronel do Exército Mauro César Barbosa Cid.

A expectativa, afirmam, é de que o ministro do STF mande prender o militar já nas primeiras semanas do novo governo.

Cid era ajudante de ordens de Bolsonaro e é investigado em vários dos procedimentos tocados por Moraes.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  56  =  57