Aprovado em primeiro turno, Projeto de Cleitinho e Bartô que proíbe políticos e outras autoridades mineiras de gastarem dinheiro público com artigos de luxo


A Assembleia Legislativa de Minas Gerais, aprovou por unanimidade, em primeira votação, o Projeto de Lei 3732/2022, de autoria dos Deputados Estaduais Cleitinho Azevedo e Bartô que proíbe a aquisição de bens de luxo, mesmo que por licitação, nos órgãos que compõem os três poderes estaduais – Para virar lei precisa ser votado e aprovado mais uma vez e o Governador sancionar. 

A proposta altera uma legislação de 2002 sobre a modalidade de licitação para a compra de bens e serviços e determina que os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário só poderão adquirir produtos de qualidade comum, não superior à necessária para cumprir as finalidades às quais de destinam. O Projeto coíbe por exemplo, compras de artigos como lagostas, caviar, vinhos e outros itens, conforme se tem visto em alguns processos públicos de compra.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

35  +    =  40