Por episódio do Telegram, os bolsonaristas, Cleitinho, Eduardo Azevedo e o ex-jogador de vôlei Mauricio, acusam ministro do STF de querer instaurar “ditadura” no Brasil


O deputado estadual e declarado pré candidato ao Senado Federal, Cleitinho Azevedo, recebeu em sua casa em Divinópolis o irmão, vereador Eduardo Azevedo (PSC) e o ex jogador de vôlei que teve o contrato suspenso com o Minas Tênis Clube e foi desconvocado da Seleção Brasileira, após declarações e posicionamentos homofóbicos, Maurício Souza. Em encenação e uma série de deduções sem embasamento e comprovação, os três acusam o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, de querer instaurar uma “ditadura” no Brasil, por ter proibido o uso do aplicativo Telegram  no país, depois que a ferramenta não se adequou a pedidos solicitados pelo Poder Judiciário, sobretudo no controle de disseminação de mensagens e combate a notícias falsas na plataforma. Já em franca campanha eleitoral, Cleitinho provoca os senadores por serem inertes a uma suposta perseguição contra o atual presidente da República e candidato a reeleição, Jair Bolsonaro. Porém, o Telegram no entanto, depois da decisão judicial revisou e atendeu os pedidos solicitados pelo STF e com isso, o ministro revogou o bloqueio do aplicativo no domingo (20/03).

Veja a seguir na íntegra as falas do deputado, do vereador e do ex jogador de vôlei bolsonarista

Cleitinho: – O que vocês estão fazendo aí? O quê que é isso?

Eduardo: – Eu estou aqui com o Maurício no Telegram!

Cleitinho: – Cês tão louco Maurício?

Maurício: – Uai, não. Tô vendo minhas coisas aqui no Instagram (confunde e erra o nome do aplicativo)

Cleitinho: – Vocês não viram que o Ministro Alexandre de Moraes proibiu o uso do Telegram aqui no Brasil?

Eduardo: – Uai, mas o Brasil agora virou uma ditadura? O Alexandre de Moraes está querendo censurar mais de 70 milhões de usuários?

Maurício: – Que eu saiba são só 11 países onde o Telegram foi proibido e todos eles vivem uma ditadura. Quer transformar o Brasil em mais uma ditadura?

Eduardo: – É o que parece!

Cleitinho: – Então o que eu queria falar é o seguinte. Se tem alguma coisa errada no Telegram, investiguem. Vocês vão querer prejudicar 70 milhões de pessoas que usam o Telegram? Agora uma coisa que me chama atenção. Parece que é perseguição, porque parece que o que mais tem seguidores no Telegram é o presidente Bolsonaro. O quê que tá acontecendo, Alexandre de Moraes?

Maurício: – Eu não sei não, uai! E o quê que nós temos que fazer pra proibir esse cara?

Cleitinho: – Tem uma coisa para fazer. Eu quero saber cadê os senadores desse país aqui? Cadê vocês? Tá na hora de vocês mobilizarem e fazer algo. Vocês tem como questionar sim, o Alexandre de Moraes, o STF. Eu peço a vocês que tão vendo esse vídeo aqui que comecem a cobrar dos senadores. Os caras precisam ter lado, se posicionar. Não podem prejudicar 70 milhões de pessoas por perseguição. Então compartilhem esse vídeo pro Brasil inteiro aí. Joga no WhatsApp, joga no Telegram. No Telegram não pode.

Maurício: Não pode.

Cleitinho. Não pode… mas vamo resolver isso daí, viu? Tamo junto!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  27  =  32