DIVINAEXPO passa a ser Patrimônio Cultural e Imaterial de Divinópolis; por projeto de Lei de autoria do vereador Print Junior (PSDB)


O vereador e presidente da Câmara de Divinópolis, Eduardo Print Junior (PSDB) como reconhecimento de que a Divinaexpo é uma tradição há 50 anos na cidade e está entre um dos três principais eventos do gênero em todo país, propôs o projeto CM-226/2021 que a Câmara na Reunião Ordinária desta terça-feira (15), aprovou por unanimidade dos vereadores presentes em plenário, que ela passe a ser de fato e de direito  Patrimônio Cultural e Imaterial de Divinópolis – Print Junior, na justificativa para apresentar o projeto rememorou as primeiras edições do evento realizado pelo histórico Zé Capitão, que ainda eram realizados em uma fazenda no Bairro Niterói, até chegar ao estágio atual como um grande fomentador da economia do município, antes, durante e após a sua realização, com a ocupação de hotéis, bares e restaurante além de movimentar sobremaneira o setor de prestação de serviços.

Justificativa do projeto que foi aprovado

PROJETO DE LEI Nº CM – 226/2021 Reconhece a Divinaexpo como patrimônio cultural imaterial do Município de Divinópolis. O povo do Município de Divinópolis, por seus representantes legais, aprova e eu, na qualidade de Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º – Fica instituído reconhecido a Divinaexpo como patrimônio cultural imaterial do Município de Divinópolis.

Art. 2º – Caberá ao Poder Executivo do Município adotar as devidas providencias para formalização do ato referenciado no artigo anterior.

Art. 3º – Esta Lei entra em vigor a partir da data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA

A Divinaexpo é um evento que marca a história da cidade e dos cidadãos de Divinópolis e região. Desde as primeiras edições realizadas nos campos do município, pelo saudoso Zé Capitão, o evento não apenas cresceu e se solidificou, como se tornou a mais importante referência cultural sertaneja da cidade de Divinópolis.

A história e relação de Divinópolis com a Divinaexpo teve início na década de 1950. É impossível falar da história do rodeio na cidade de Divinópolis sem remeter-se à figura daquele que foi seu precursor: José Gontijo da Silva, mais conhecido como Zé Capitão.

Natural de Serra Negra, ele veio para Divinópolis ainda criança, onde deu continuidade aos negócios de sua família e, posteriormente, veio a adquirir sua tropa. Em 1º de junho de 1955, Zé Capitão organizou a primeira Exposição e Rodeio na cidade, na região da Charqueada, no bairro Niterói, na antiga fazenda de propriedade de Oribes Batista Leite.

A partir de então, o evento cresceu, desenvolveu-se e se consolidou de maneira muito expressiva. Atualmente, é considerado o maior rodeio de Minas Gerais e um dos maiores do Brasil A Divinaexpo se desponta como um dos principais eventos de Divinópolis. A sociedade como um todo se movimenta para que, nesses dias de festa, a família e a tradição sejam celebradas.

A dimensão patrimonial da Divinaexpo se revela à medida que as pessoas trazem essa celebração como parte da sua vida e da sua história O presente trabalho tem por missão retratar e registrar, para nós e para as futuras gerações, os diversos aspectos que compõem a festa, assim como organizar e disponibilizar um acervo da memória e história das pessoas que construíram essa celebração e que, de diferentes maneiras, contribuíram para que a Divinaexpo se tornasse um dos principais expoentes da cultura sertaneja, tropeira e do rodeio do Brasil. Desde seu início, a marca registrada da Divinaexpo sempre foi o desejo de se fazer um grande evento para Divinópolis (MG) e toda a região e, não por acaso, a festa começou e continua a ser realizada como celebração do aniversário da cidade e das tradições ligadas a sua origem.

Hoje, o fruto da festa é colhido nos sorrisos e na alegria de tantas pessoas que conosco vivem e fazem, dos dias dessa festa, momentos únicos, registrados na memória afetiva da sociedade divinopolitana.

A Divinaexpo, que antes de qualquer coisa é uma festa do povo para o povo, seja elevada a Patrimônio Cultural Imaterial da nossa querida Divinópolis. Tal solicitação se justifica tanto pela importante tradição da Divinaexpo com a cidade quanto pelo reconhecimento do Estado Brasileiro, através da Lei Federal nº 13.364, de 29 de novembro de 2016, que elevou o Rodeio, a Vaquejada, bem como as respectivas expressões artístico-culturais, à condição de manifestações da cultura nacional e de patrimônio cultural imaterial brasileiro.

Divinópolis, 01 de dezembro de 2021.

__________________________________

Vereador Eduardo Print Junior

Presidente da Câmara Municipal (PSDB)

Um comentário em “DIVINAEXPO passa a ser Patrimônio Cultural e Imaterial de Divinópolis; por projeto de Lei de autoria do vereador Print Junior (PSDB)

  • 16 de março de 2022 em 16:14
    Permalink

    E, isso mostra quem não tem projeto, é nem competência de está no cargo , fica inventando esse tipo de coisa. Invez de buscar melhoria para a população fica criando esse tipo de apologia própria.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  75  =  80