Depois da desistência da Heineken por Pedro Leopoldo, Divinópolis quer receber fábrica da cervejaria


A cervejaria Heineken anunciou, na terça-feira (14), que cancelou o projeto de construção de sua fábrica em Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A decisão veio após uma decisão de embargo da Justiça e abertura de inquérito civil público para apurar a situação. A Prefeitura de Divinópolis, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo (Semdes) desde então vem monitorando nas últimas semanas a situação a partir de contatos com a Invest Minas, agência de promoção de investimentos do Governo de Minas Gerais. A partir da divulgação da decisão da Heineken em abortar o projeto original em Pedro Leopoldo, o município de Divinópolis se colocou formalmente como um possível destino para receber a fábrica da cervejaria. Por ser polo da Região Centro-Oeste mineira, o município pode contar com apoio de outros gestores e suas respectivas prefeituras, devido a atração fiscal e desenvolvimentista para as economias das 53 cidades presentes. Assim como foi em outros tempos com a fábrica da Kaiser e da Coca-Cola até os anos 90 e início dos anos 2000.

O prefeito Gleidson Azevedo (PSC) realizou, ainda hoje, contato com a diretoria da Heineken, apresentando a receptividade de Divinópolis com o projeto. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo levantou as diretrizes demandadas pela Heineken para sua escolha, que incluem disponibilidade de área de grande porte, próxima a um rio despoluído de alta vazão. A companhia ainda destaca a importância da água como insumo fundamental para a produção, demandando uma região com substancial disponibilidade de água subterrânea.

A formalização da manifestação de interesse em receber a planta produtiva da Cervejaria Heineken apresenta apontamento de áreas do município de Divinópolis com porte demandado localizadas próximas do fluxo hídrico, detalhamentos geológicos de águas subterrâneas da região, informações sobre a Bacia Hidrográfica do Rio Pará, bem como dados sócio-econômicos do município.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Luiz Angelo Gonçalves, ressaltou a importância socioeconômica de um empreendimento desse porte na região Centro-Oeste. “Não apenas Divinópolis, mas todas as cidades vizinhas devem trabalhar em sintonia para oportunizar a vinda da Heineken para nossa região. Este é um empreendimento que potencializa diversas cadeias produtivas, com alta geração de novos postos de emprego e receita fiscal muito relevante”, destacou.

Contudo, existem centenas de municípios querendo o mesmo que Divinópolis quer, ou seja, geração de empregos e renda para a cidade. A disputa será acirrada.

 

Foto: Operário gerencia linha de produção em uma das fábricas da Heineken pelo Mundo. | (Andrey Rudakov/Bloomberg/Getty Images)

 

Heineken no Brasil

Em 2010, a Heineken comprou as atividades do setor de cerveja do grupo mexicano Fomento Econômico Mexicano SA (Femsa). O negócio incluiu 100% da operação de cervejas da Femsa no México, e 83% do negócio de cervejas no Brasil – os outros 17% já pertenciam à companhia holandesa. No Brasil, a Femsa é dona, entre outras marcas, da Kaiser. A Femsa é uma das maiores engarrafadoras de cervejas e refrigerantes da América Latina, ao lado da também gigante, AmBev.

“Com base na cotação da ação da Heineken a 32,925 euros em 8 de janeiro, isto avalia a Femsa em 3,8 bilhões de euros (US$ 5,5 bilhões)”, explicava o comunicado de compra emitido para imprensa, na época. A Heineken também assumiu as dívidas da empresa e as obrigações de aposentadoria, o que elevou o custo total da aquisição a 5,3 bilhões de euros (US$ 7,6 bilhões).

Com: Vinícius Xavier

21 comentários em “Depois da desistência da Heineken por Pedro Leopoldo, Divinópolis quer receber fábrica da cervejaria

  • 17 de dezembro de 2021 em 00:29
    Permalink

    Esse prefeito que na verdade está mais para “Youtuber” em conjunto com esses deputados da cidade que nada fazem para atrair investimentos. Tive que sair da cidade nos anos 90 em buscar de emprego com salário melhor e nunca mais retornei. Ja se passaram mais de 30 anos e nada mudou pelo jeito. A dança das cadeiras dos cargos políticos continua, continua ….e nada de melhor acontece.

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 23:17
    Permalink

    Esta cidade que ainda tem um lixão. Como uma empresa que precisa de boas águas vai acreditar em um município que nao cuida do meio ambiente

    Resposta
    • 16 de dezembro de 2021 em 16:36
      Permalink

      E onde não tem lixão? Em qual cidade se trata o lixo corretamente?
      Isto não é privilégio de Divinópolis não.
      A Kaiser fabricava sua cerveja e a Coca Cola fabricava seus produtos com a água da cidade e nunca se constatou nada de errado.
      Estas empresas saíram da cidade, como acontece pelo país a fora, por causa de propostas econômicas atraentes ( isenções fiscais principalmente) de municípios com mais força política. Nada mais que isto.

      Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 15:47
    Permalink

    Infelizmente Carmo do Cajuru atrai mais empresas atualmente que Divinópolis.
    Trabalhei em uma multinacional que gerou 2150 empregos diretos em 2010 e 2011. A intensão era vir para Divinópolisas na época 2008-9 o então prefeito nem olhou na cara do diretor da empresa, ela acabou indo para Oliveira uma cidade de 40 mil habitantes ganhou ganhou mais de 3 milhões circulando a mais no comércio / mês. Eles deram Terreno, Galpão, Isenção, Estação de Tratamento de Esgoto, tudo. Aqui não deram nem atenção para a empresa.

    Resposta
    • 15 de dezembro de 2021 em 20:38
      Permalink

      Vejo nesse comentário que vc está altamente bem informado.acredito que se Lembra que Tivemos 2 Federais e 1 Estadual bem Relacionados. Tivemos bons Resultados, e alguns ficaram a desejar.

      Resposta
    • 16 de dezembro de 2021 em 16:29
      Permalink

      Ai fica fácil para a empresa: ganha tudo de graça!
      Negociação não é assim que funciona não: os dois lados tem que dar contrapartida.

      Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 10:47
    Permalink

    Seria ótimo para a cidade e para a região mas, considerando o que se divulga sobre a cidade e seus gestores atualmente, a falta e /ou deficiência de estrutura básica ( pavimentação e sinalização de ruas e avenidas, limpeza urbana, acessos terrestres e aéreos deficientes) e sobretudo a falta de ação política de peso junto aos órgãos responsáveis, acho pouco provável.
    Não torço contra mas acho que imagem da cidade está muito prejudicada devido aos constantes vídeos e atitudes pouco civilizadas dos nossos representantes.
    Lembrado que sem políticos fortes, eleitos pelo município, para trabalharem nos bastidores, tudo fica mais difícil.

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 09:17
    Permalink

    Seus bandos de palhaços, nossa cidade precisa de empregos e empresas que tragam movimento para cidade e renda. Parem de comentar coisas que não entendem. As empresas vem chegando na cidade e vocês só sabem reclamarem.

    Resposta
    • 15 de dezembro de 2021 em 15:01
      Permalink

      Seria muito bom para a cidade se por um milagre isto pudesse acontecer

      Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 07:50
    Permalink

    Pra quem não sabe, fiquem sabendo.
    O terreno onde funcionava a Kaiser, no bairro Icarai ( que por sinal fechou as portas por falta de apoio do municipio) pertencia a Heineken e foi recentimente vendido para Femsa, sinal que por aki eles não querem nada não.

    Resposta
    • 15 de dezembro de 2021 em 15:24
      Permalink

      O maior motivo para voltar com terreno da Kaiser seria nada mais que UMMMM grande desconto de impostos, isso sim chama a atenção de grandes empresas.
      Temos um grande potencial para receber , quem sabe pode acontecer.

      Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 07:43
    Permalink

    Prefiro um papagaio barulhento, mais que morre lutando por melhorias para o município, a uma administração discreta e corrupta.

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 07:42
    Permalink

    Se os gestores da empresa cervejeira vierem conhecer a cidade e forem recebidos pelo prefeito, podem ter certeza, que desistem do negócio.

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 06:43
    Permalink

    Não conseguiu nem segurar as empresas q saíram daqui, esse prefeito acha q consegui trazer a cervejaria pra cá. Ele vive no mundo de Alice.

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 06:07
    Permalink

    Vamos apoiar está iniciativa da administração da prefeitura de Divinópolis se este projeto acontecer será um gigantesco passo que Divinópolis dará na economia da cidade e região vamos nos unir neste projeto.

    Resposta
  • 14 de dezembro de 2021 em 23:31
    Permalink

    Não segurou cofer e outras

    Resposta
  • 14 de dezembro de 2021 em 23:13
    Permalink

    PODE ATÉ FALTAR ÁGUA TRATADA DA FAMIGERADA COPASA NA TERRA DO DIVINO, MAS CERVEJA NÃO VAI FALTAR PROS BEBUNS DE PLANTÃO NOS INÚMEROS BUTECOS,BARES E RESTAURANTES DA CIDADE!!!!

    Resposta
    • 15 de dezembro de 2021 em 05:18
      Permalink

      Tem que agir como fez Nova Serrana e Pará de Minas, o município dá adeus a Copasa.

      Resposta
  • 14 de dezembro de 2021 em 22:53
    Permalink

    Se o prefeito papagaio barueira fez contato com a empresa, certamente ela irá optar para outra cidade.

    Resposta
    • 15 de dezembro de 2021 em 07:02
      Permalink

      Pensei exatamente a mesma coisa.

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  48  =  57