Divinópolis: Vereadores falam de tudo, menos dos problemas sociais dos Bairros Copacabana, Vila das Roseiras e Elizabeth Nogueira; Em 2024 lembram


Na Reunião Ordinária da Câmara de Vereadores desta última quinta-feira (14), os vereadores que usaram o tempo regimental para fazer seus “pronunciamentos”, nenhum deles abordou o problema social que os moradores dos residenciais Bairro Jardim Copacabana, Elizabeth Nogueira e Lago das Roseira estão passando, com o risco de perderem seus tetos e serem despejadas. Sem entrar no mérito da ilegalidade da invasão, é fato que é uma questão social e humanitária. Porém passou ao largo de todas as falas dos nobilíssimos parlamentares – “Em 2024 eles vão eles vão lembrar de nós outra vez, que nós existe. Aí nós vai esquecer deles” 

Ana Paula do Quintino (PSC)

A vereadora falou sobre a campanha do Outubro Rosa e reclamou de obras inacabadas pela AB Nascentes das Gerais nas imediações do bairro Quintino. Também questionou a Empreser sobre calçadas e pavimentação mal feitas no bairro Padre Herculano. A edil comentou ainda sobre sua ida a Cláudio no aniversário do município, ocasião em que discutiu sobre usina de asfalto.

Josafá Anderson (CDN)

É outro vereador que falou das suas pautas quase pessoais, a desburocratização, como sempre, o Serra Verde que é seu nicho eleitoral. Entre outros assuntos como reclamações contra a Transoeste. Mas passou bem longe dos problemas do Copacabana. Aliás é uma caracteristica de Josafá não se envolver em factuais polêmicos. Segue sempre a mesma toada.

Hilton de Aguiar (MDB)

Também foi outro que ignorou a questão do Copacabana, do Elizabeth Nogueira e da Vila das Roseira, falou sobre as estradas rurais na comunidade de Tavares e do Buritis. Deu parabéns pelas celebrações e trabalhos na Igreja de Nossa Senhora de Aparecida no bairro Bom Pastor, como sempre também, reclamou da Copasa no bairro Jardinópolis, buracos.

Ademir Silva (MDB)

Foi surpresa Ademir ter ignorado. Mas foi mais um que passou bem longe dos problemas das  famílias que poderão serem despejadas, nos três residenciais populares do Programa Minha Casa Minha Vida. Pautou outros assuntos, como a reclamações de trânsito sobre a Rua de Rio de Janeiro e a Rua 10 de Outubro no bairro Ipiranga.  problema de drenagem pluvial na Rua Goiás com risco de inundação. Falou ainda da prestação de contas do HSJD.

Rodyson do Zé Milton (PV)

Esse falou sobre si, o histórico de seus mandatos passados e avaliou estar contente com o trabalho dele. O edil fez um resumo sobre sua passagem no CIS-URG e alega ter sido perseguido na gestão do Galileu. Por fim, Rodyson agradeceu ao presidente da Câmara, Eduardo Print Jr, por junto ao prefeito Gleidson Azevedo terem promovido ainda mais a Lei do Adote um Bem Público em Divinópolis. O agente político destacou a Praça do Nossa Senhora das Graças que foi adotada por uma empresa de placas fotovoltaicas – Porém, não disse um “A” sobre o grande factual social que está dominando a cidade. A denúncia do MPF à Caixa para retirar os moradores do Copacabana, Vila das Roseiras e Elizabeth Nogueira que estão irregulares por que outros moradores sem direitos foram “sorteados!

Ney Burguer (PSB)

De tal vereador, que é aliadíssimo com o prefeito, já era esperado que não entraria em assunto polêmico que coloca o Executivo em saia justa. Por isso o nobre edil falou de outras pautas. A de sempre, a Copasa, e deu alguns parabéns. Além de falar do campeonato de bandeja dos garçons, e VLI – O problema social dos três bairros, ele não ouviu falar.

Zé Braz (PV)

Esse também é outro aliadão do prefeito. Seus pronunciamentos são permeados da popular medida “água com fubá” para não desagradar o prefeito Gleidson, mas ao mesmo tempo ficar bem com quem o elegeu. Por isso passou bem longe do assunto, Copacabana, Vila das Roseiras e Elizabeth Nogueira. Falou foi do credenciamento dos veículos food trucks à Prefeitura. O edil também relembrou a abertura do processo seletivo para estagiários no Centro Administrativo. Ele também ressaltou a abertura de cadastro para agentes de saúde e médicos na cidade. O agente político destacou ainda sua fiscalização às obras do PAC no Costa Azul, Terra Azul, Quinta das Palmeiras e Maria Peçanha. O parlamentar também cobrou transporte para pacientes que fazem tratamento oncológico em Divinópolis. Por fim o vereador propôs uma reflexão ao público e as autoridades a cerca dos preços das mercadorias nos supermercados e dos combustíveis nos postos. Segundo apontou, se as regalias aos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo forem enxugadas ou extintas, a crise econômica causada pela inflação e outros fatores poderia ser controlada.

Lohanna França (CDN)

Foi até estranho que Lohanna França, não tivesse falado sobre o assunto. Mas o fato é que não falou. Mas não deixou de falar sobre o  pronunciamento do tribuno, professor Roberto Ribeiro, que falou sobre as condições de trabalho dos seguranças em Divinópolis e como a prestação de serviço e a estrutura dos eventos poderia ser mais segura. Na sequência, a edil cobrou novamente a cerca de sua Lei da carteirinha para as crianças com autismo, a qual foi aprovada por unanimidade em abril mas até hoje não foi colocada em prática pela prefeitura. Segundo a parlamentar, os agentes políticos e a população para a qual a legislação foi feita está sendo feita de boba. A vereadora apontou ainda a incompetência da prefeitura em não se preparar para aplicar a lei. Lohanna parabenizou aos professores pelo dia da classe educadora e pontuou que os profissionais precisam serem tratados com mais qualidade e receberem vencimentos mais justos. Ela também comentou uma visita que fez ao CAPS e frisou a questão de problemas de saúde mental nas crianças e adolescentes da cidade. Sobre o assunto a vereadora pontuou a necessidade da reativação do Conselhos da Juventude em Divinópolis – Segundo a assessoria da vereadora na próxima reunião ela abordará o assunto, isso só na terça-feira (19)

Roger Viegas (REP)

O vereador usou de quase todo tempo de sua fala para se pronunciar sobre a morte do segurança Edson Carlos e pontuar algumas falhas na realização do evento, as quais podem ter colaborado para que o fato acontecesse. O parlamentar frisou que irá se reunir com os colegas edis e buscarem garantias jurídicas e estruturas para que outros episódios não voltem a acontecer no futuro – Mas “neca” de falar sobre o problema social dos moradores dos três residenciais do Programa Minha Casa Minha Vida.

Flávio Marra (PAT)

Flávio Marra, também é amiguinho de Gleidson e evita bolas divididas com o prefeito. Muito embora algumas vezes dá uma entradinhas  com mais vigor, parafraseando jogadas do esporte. Entretanto, como todos os demais, o risco de despejos das mais de 100 familias dos residenciais, Marra parece que não ficou sabendo. Discorreu foi de obras inacabadas nas imediações do residencial Frei Galvão, no bairro São Simão, na Rua Guaracy Gomes. Fez critica a atuação de Lohanna França na manifestação da morte do segurança Edson Carlos.

Eduardo Azevedo (PSC)

O vereador citou a fala do tribuno Roberto da Torre Norte, sobre a questão dos profissionais de segurança em Divinópolis e dos eventos na cidade. Levantou o assunto do acionamento jurídico da prefeitura de Guaxupé contra a Arsae e a Copasa, pelo reajuste nas taxas cobradas nas contas de água. Falou outras coisas mais. Porém, nem um “pio” sobre os problemas sociais que envolvem diversas famílias de baixa renda, ou renda quase nenhuma, em total vulnerabilidade social e prestes a perder os tetos sobre suas cabeças. Para Eduardo, ontem não existiu os bairros onde ele também fez campanha ao lado dos dois irmãos, o prefeito Gleidson e o deputado Cleitinho Azevedo

Wesley Jarbas (REP)

Wesley não falar de temas polêmicos, é esperado, e normal. Isso é “pule de dez”. O vereador citou a fala do professor e segurança Roberto Ribeiro na Tribuna Livre. Criticou de leve as obras paradas nas ruas do bairro São Simão. Agradeceu (é o normal dele, agradecer sempre) pelas melhorias na Rua Castro Alves. Destacou uma reunião na prefeitura para discutir intervenções na Rua Canápolis, no bairro São José – Para ele os três bairros não existiram ontem. Foi só coisa de imprensa. Passou bem longe desta pauta.

Os demais vereadores não usaram a fala. E outros estavam ausentes.

 

 

2 comentários em “Divinópolis: Vereadores falam de tudo, menos dos problemas sociais dos Bairros Copacabana, Vila das Roseiras e Elizabeth Nogueira; Em 2024 lembram

  • 17 de outubro de 2021 em 11:50
    Permalink

    Tem vereador bobo nao povao meter a mao em cumbuca e ruim em kkll o povo que se lasque

    Resposta
  • 16 de outubro de 2021 em 17:57
    Permalink

    vai ser um limpa na cámara. no ritmo que vai ,eles ainda não acordou, depois e tarde.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

69  −    =  64

PODCAST: escuta essa!!