Sem doses no Brasil, Anvisa concede 1º registro definitivo do país para a vacina Pfizer


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou, nesta terça-feira (23), a autorização de registro definitivo da vacina Pfizer/Biontech contra Covid-19. O imunizante é o primeiro a receber a certificação no país, mas ainda não há doses da vacina em solo brasileiro.  

O Governo Federal ainda está em negociação da compra do imunizante com a farmacêutica. A vacina da Pfizer foi uma das quatro testada no Brasil. No início do ano, o laboratório responsável afirmou ter oferecido 70 milhões de doses da vacina ao Ministério da Saúde ainda em dezembro, mas a oferta foi recusada.  

De acordo com o Governo, as vacinas não foram compradas devido ao contrato com a farmacêutica, em que a Pfizer não se responsabilizaria por efeitos adversos graves do imunizante. 

Enquanto isso, as vacinas produzidas pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, e a da farmacêutica Astrazeneca, desenvolvida em colaboração com a Universidade de Oxford e com contratos com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), possuem apenas a autorização de uso emergencial no Brasil, e, dessa forma, só podem ser aplicadas em grupos prioritários.  

Os dois imunizantes também são produzidos no Brasil, devido ao acordo de transferência de tecnologia entre as fabricantes (AstraZena e Sinovac, respectivamente) e instituições brasileiras (Fiocruz e Butantan).  

Ao passo que as negociações de compra da vacina da Pfizer não incluem transferência de tecnologia, ou seja, a vacina não será fabricada em solo brasileiro, e, sim comprada de fora.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!