COMEÇOU QUENTE: Na primeira Reunião Ordinária do ano Câmara nomeia Comissão Especial para averiguar denuncia de funcionário do Luto


Em consequência de um vídeo que foi postado nas redes sociais por um servidor do Serviço Municipal de Luto ocasião que ele acusou o SAMU de omissão de atendimento, durante a primeira Reunião Ordinária nessa terça-feira (02), o vereador Rodyson Kristnamurti (PV) em seu pronunciamento, após fazer veemente defesa do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, local onde ele trabalhava antes de ser reeleito vereador, solicitou ao presidente da Câmara Vereador Eduardo Print Junior que fosse nomeada uma Comissão Especial para esclarecer os fatos, com isso ouvir Ramon Peres da Silva Dutra, o autor da denúncia de uma suposta omissão de socorro por parte do Samu.

Mesmo o funcionário contratado do Luto tendo gravado o vídeo na hora do trabalho, e na imagem que ele aparece paramentado com EPI (Equipamento de Proteção Individual), a Prefeitura ao se manifestar sobre o caso, emitiu Nota Oficial afirmando não ter nenhuma responsabilidade sobre o vídeo feito por Ramon.

Rodyson avaliou que existem muitas contradições no caso, e que o Conselho Regional de Medicina é claro ao dizer que não é obrigação do SAMU atender casos de Declaração de Óbito. No entendimento do edil, o servidor colocou em xeque o trabalho do SAMU, da Prefeitura e do Serviço Municipal de Luto.

O vereador explicitou durante a reunião que Ramon deve ser chamado na Câmara para esclarecer os fatos, que a função dele quanto parlamentar é fiscalizar, e ainda que a denúncia feita pelo servidor é muito séria, por que o SAMU tem todas as gravações feitas pela família, e o servidor terá que provar a omissão de atendimento.

Ao final da reunião, o presidente da Câmara escolheu para compor a comissão, alem do vereador Rodyson Kristinamurti, também a vereadora Lohanna França, e Ney Burguer.

 

2 comentários em “COMEÇOU QUENTE: Na primeira Reunião Ordinária do ano Câmara nomeia Comissão Especial para averiguar denuncia de funcionário do Luto

  • 4 de fevereiro de 2021 em 10:24
    Permalink

    Direito é prova. Este tipo de processo, gravar vídeos, falar o que quer, tem suas consequências. Quando você observar irregularidades no ambiente de trabalho, faça por escrito para sua chefia, e assim que tomem as medidas cabíveis. Será desgastante para o servidor agora provar o fato, pois os representantes do SAMU se posicionaram, e tem credibilidade. Aguardemos os próximos capítulos. Entendam: nem tudo se exibe em rede social. Existem caminhos legais, silenciosos e práticos.

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2021 em 00:15
    Permalink

    É a cultura do gravar vídeo na prefeitura. Todo mundo copiando o irmão do Cleitinho.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

48  +    =  58

PODCAST: escuta essa!!