Em consequência de pandemia Comitê Gestor de Políticas Sobre Drogas intensifica abordagens sociais noturnas em Divinópolis


Sérgio Bebiano, presidente do Sindicato dos Contabilistas de Divinópolis (Sincondiv)  e Luciana Capanema, presidente do Conselho Municipal de Drogas, ambos participante do Comitê Gestor de Política  Municipal sobre drogas explicaram que o atendimento às pessoas em situação de rua não foi paralisado, é que agora a partir de ontem, segunda-feira (08) foi intensificado, com ações mais contundentes – De acordo com Sérgio estão envolvidos 50 voluntários da sociedade civil que após terem passados por um processo de capacitação foram divididos em equipes de abordagens que após as 19 horas levarão “um pouco de conforto” para as pessoas distribuindo alimentos e vestuários. Sergio explicou também que será feito um cadastro, já que até hoje o município não sabe mensurar que pessoas são essas que estão nas ruas. “É preciso saber isso para implementar uma política social. Quantos homens são? Quantas mulheres? Qual é a idade de cada uma? De onde vieram? Perguntas básicas que precisam ser respondidas.

Durante a abordagem e o cadastro as equipes estão instruídas para encaminhar por vontade da própria pessoa, e não de forma compulsória, tentar direcioná-las para um abrigo. Para isso um veículo ficara a disposição para que sejam encaminhados para o Caps AD,

A ação tem a parceria do Centro Espirita Jesus de Nazaré e da Universidade Federal São João Del Rei, responsável pelo cadastramento da população em situação de rua. Richardson Miranda, da UFSJ diz que com a coleta de dados sobre a população de rua vai ser possível monitorar e obter informações sobre sexo, idade, cidade de origem, regiões onde eles circulam, situação socioeconômica, e se possuem problemas de saúde ou não. E com as informações conseguir mapear as regiões de Divinópolis, entendendo por que eles estão em determinados locais e com isso trabalhar em conjunto para ajudar a reinseri-los na sociedade.

Luciana Capanema entende que tais ações são de extrema importância principalmente neste momento de pandemia para evitar a contaminação pelo coronavírus e ainda dar mais dignidade aos dependentes químicos em situação de rua.

Bebiano, explicou que qualquer um pode participar como voluntários, é só procurar a Diretoria sobre drogas e Direitos Humanos na Rua Pernambuco 60, 9 andar ou entrar em contato no número (37)9-9112-4098 e falar diretamente com a Luciana.

 

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!