Baseado em dados técnicos, Presidente da Unimed faz prognósticos funestos sobre COVID-19 para Divinópolis e Região; “muitas mortes”, diz ele


O presidente da UNIMED Divinópolis Evangelista José Miguel, em uma nova entrevista para o Divinews voltou a recomendar que todos se previnam por se tratar de uma infecção que não existem vacinas e tão pouco remédios, que ainda está tudo sendo estudado. Alerta que o melhor remédio é ficar em casa, especialmente os maiores de 60 anos e os que tratam de diabetes, hipertensão, obesidade ou outras doenças crônicas.  

Evangelista recomenda que as pessoas ao saírem para a rua usem mascaras protetoras e que se distancie das pessoas por que o vírus se transmite também através da respiração. E ainda que se faça a higienização frequente das mãos, rosto, dentes. Explica que ao chegar em casa limpem os sapatos com água sanitária diluída três partes com água. Deixar na varanda. Até as roupas devem tiradas e depois colocadas para lavar, e depois quem saiu tome um banho com água quente e bastante sabão.

O Presidente da UNIMED, voltou a reforçar que as pessoas não saiam para lugar nenhum evento fechado, que não tenha ventilação, como exemplo citou igrejas, academias, shows, restantes, cursos, escolas, etc. Às vezes até tem ventilação mas com muitas pessoas aglomeradas o ar fica contaminado em pouco tempo. Reuniões ou trabalhos operacionais nas empresas, só de máscara, bem distanciados e em ambientes muito bem ventilados. Foi taxativo quanto ao uso de máscaras, que é importantíssimo ao sair na rua ou mesmo no trabalho.

Os números das mortes

0,1% apresentarão sintomas

80% destes 0,1% terão sintomas leves podendo ser diagnosticados ou não.

20% destes 0,1% terão sintomas fortes e internação em CTI com respiradores daí a mortalidade será entre 30% e 60%

Exemplo

Brasil.

Aproximadamente 200 milhões de habitantes (censo IBGE 2010)

200 mil casos sintomáticos

160 mil diagnosticados ou não,

40 mil casos graves em CTI com respiradores,

12.000 a 24.000 mil mortes.

Divinópolis

Aproximadamente 200 mil habitantes ( censo 2010  )

200 casos sintomáticos

160 diagnosticados ou não

40 casos graves em CTI com respiradores

12 a 24 mortes

As variações vão depender do isolamento, distanciamento e máscaras, e tratamentos com medicamentos novos e CTIs adequados.

Na mesma projeção a Região Centro-Oeste pode apresentar entre 48 e 96 mortes. Também sujeitas às mesmas variáveis

“Contudo, acho que o brasileiro é altruísta e criativo. Tenho esperança de que Vamos reduzir muitos esses números com o empenho de todos, desprendimento e muita união. A Unimed não está medindo esforços para adequar os hospitais para o enfrentamento do coronavírus”, finaliza Evangelista.

 

Evangelista J Miguel

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!