Vigilância em Saúde de Divinópolis alerta população sobre cuidados nas residências no pós-chuva


O coordenador em Vigilância em Saúde, Erson Ribeiro, afirma estar bastante preocupado após as chuvas que caíram sobre a cidade, e em consequência disto as residências acumularam água em locais que são pouco vistos e que na maioria das vezes passa despercebidos pelos moradores, e acabam se tornando um criadouro dos mosquitos aedes aegypti, transmissores da dengue, Zika, Chikungunya e ainda da febre amarela urbana – Erson solicita que os moradores inspecione bem suas residências, por que o maior foco das doenças relativas ao mosquito estão dentro das casas. “Os moradores moram com o inimigo e não percebem e não vigiam isso”, afirmou.

No dia 15 de janeiro foi divulgado o primeiro levantamento do Índice Rápido do Aedes Aegypt (LIRAa), e o relatório aponto um índice altíssimo de manifestação de 8,1%, sendo que 92% dos focos estão dentro das residências de quem reclama e é atingido pela doença. Somente 8% é apontado para os lotes vagos.

As imagens referem-se a caixas d´agua destampadas, e água empoçadas nos topos das construções, as 11h40min desta quinta-feira (30)

 

 

 

 

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!