Deputado de Minas Gerais inspirado na pobreza do Procurador do MPMG cria PEC do MISERÊ


Inspirado na declaração do procurador do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Leonardo Azeredo dos Santos, que lamentou em uma gravação, ser R$ 24 mil reais um salário miserê, e que diante de sua lastimável situação financeira só poderia gastar R$ 8 mil reais com cartão de crédito. Porém, sua média salarial não é o miserê de R$ 24 mil reais, e sim o nababesco valor de R$ 60 mil reais por mês, com os penduricalhos que “tem direito”. O deputado estadual Cleitinho Azevedo (Cidadania), está coletando assinatura para apresentar a “PEC MISERÊ”, que tem como objetivo retirar todos os penduricalhos dos salários dos Poderes mineiros. O Executivo, Legislativo e Judiciário. Cleitinho classifica como um acinte, uma verdadeira brincadeira e falta de respeito ao povo brasileiro. Mas como não pode legislar no âmbito federal, tentará aprovar o projeto em Minas Gerais. Os absurdos auxílios que são recebidos pelos membros dos três poderes, como auxílio moradia, auxilio saúde, livro, creche paletó e mudança, entre outros. Por isso deu o nome de PEC DO MISERÊ.

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!