O Globo diz que senador Cleitinho Azevedo é um político que faz parte do ‘eixo da desinformação’ em ampliação de fake news sobre o RS

Publicado por: Redação

De acordo com matéria publicada pelo Jornal O Globo, o senador Cleitinho, por um levantamento feito periódico carioca que localizou ao menos vinte noticias falsas diferentes que circularam desde o inicio das chuvas no Estado do Rio Grande do Sul, está entre os políticos que disseminou informação falsa, que logo foi desmentida pelo secretário chefe da Casa Civil do Estado, Arthur Lemos. Ainda segundo a colunista Bela Megale, do O Globo, na segunda-feira, na Câmara dos Deputados, sete deputados federais se tornaram alvo de representação judicial movida pelo PSOL por propagação de fake news durante sessão na Casa. São eles Filipe Martins (PL-TO), Gilvan da Federal (PL-ES), Paulo Bilynskyj (PL-SP), Caroline de Toni (PL-SC), General Girão (PL-RN), Coronel Assis (União-MT) e Coronel Ulysses (União-AC).

Passadas duas semanas desde o início das fortes chuvas no Rio Grande do Sul, autoridades e sociedade civil têm lidado com mais uma batalha além dos impactos físicos da tragédia: a desinformação. Levantamento do GLOBO localizou ao menos vinte notícias falsas diferentes que circularam neste período, amplificadas por políticos e artistas. Apenas as postagens originais tiveram 13,46 milhões de visualizações, segundo dados públicos das plataformas.

Continua depois da publicidade

— Além do potencial de causar pânico e alarmar a população, as notícias falsas podem atrapalhar ações de resgate, colocar em risco a segurança das pessoas ou até mesmo impedir o acesso a mantimentos e medicamentos — afirma a pesquisadora Letícia Capone do Grupo de Pesquisa em Comunicação, Internet e Política da PUC-Rio.

Diante da propagação, o governo federal lançou no último domingo uma campanha de conscientização. Na semana passada, o governo já havia solicitado que a Polícia Federal instaurasse inquérito contra deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), o senador Cleitinho Azevedo (Republicanos-MG) e o influenciador Pablo Marçal por publicações sobre as chuvas. O filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que Lula (PT) tomou medidas apenas após quatro dias de chuvas. A postagem se deu três dias após o governo reconhecer o estado de calamidade e iniciar a destinação de recursos.

Já Cleitinho e Marçal postaram que as doações com destino ao estado não estavam chegando por ausência de nota fiscal. A informação foi desmentida pelo secretário-chefe da Casa Civil, Arthur Lemos.

— As doações estão passando isentas e não há nenhuma cobrança de imposto — disse.

Também sobre fiscalização, o governador de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), divulgou que caminhões estavam sendo multados. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), um dia antes do post, contudo, havia negado. O vídeo do governador alcançou 2,9 milhões de pessoas. Outros políticos replicaram o mesmo conteúdo. O deputado Gilvan da Federal (PL-ES) usou a tribuna da Câmara para afirmar que barcos e moto aquáticas estariam sendo parados para comprovar documentação. Em vídeo, o coronel Douglas Soares, subcomandante geral da Brigada Militar, afirma que a instituição não está verificando nenhum tipo de autorização para pilotar embarcação.

Serviço de checagem

Entre as fakes news que mais repercutiram, destaca-se uma postagem feita pelo deputado Nikolas Ferreira (PL-MG) afirmando que apenas o Ministério da Saúde pode repor os medicamentos em falta no estado. O parlamentar cita, em especial, a insulina, usada em tratamentos de diabetes. Dias antes, a Anvisa já havia se posicionado sobre o tema afirmando que não há empecilhos para doações de medicamentos.

Neste mesmo tema, deputados como Gustavo Gayer (PL-GO) e Paulo Bilynskyj (PL-SP) afirmaram que médicos teriam sido impedidos de trabalhar e que vacinas estão em falta no estado. Ambas as declarações já foram desmentidas. O PT acionou o Ministério Público contra Gayer.

— Não há desabastecimento de vacina ao estado do Rio Grande do Sul. Fake news seguem tentando promover caos — diz a ministra da Saúde Nísia Trindade.

As doações também são alvo de notícias falsas. Sobre a criação do Pix oficial, duas notícias refutadas pelas autoridades foram criadas: a de que a Defesa Civil estava indo até casas de moradores pedir doações e de que o dinheiro seria utilizado pelo próprio governo. Em suas redes sociais, a vereadora de Fortaleza, Priscila Costa (PL), pediu aos seus seguidores para fazerem doações a igrejas e colocou em xeque o pix oficial.

Veículos jornalísticos que trabalham com checagem de notícias detectaram uma explosão no número de denúncias de conteúdo falso sobre as enchentes. A Agência Lupa, por exemplo, vem recebendo cerca de 300 pedidos de checagem diariamente apenas em seu canal no WhatsApp — o dobro da média, e quantidade comparável ao período eleitoral.

Diante de necessidade de disseminar ao máximo informações e conteúdo de serviço sobre a calamidade, a Editora Globo liberou o acesso a todos os leitores às reportagens produzidas por O GLOBO e Valor Econômico sobre as enchentes. A decisão repete o que foi feito durante a pandemia.

De doações à saúde

  • Caminhões: parlamentares, como o senador Cleitinho Azevedo (Republicanos-MG) e o deputado Filipe Martins (PL-TO), propagaram nas redes que caminhões estavam sendo impedidos de entrar no estado. Outras mensagens diziam que doações sem nota fiscal estavam sendo barradas e que veículos eram multados, que foi contestado pelas autoridades.
  • Doações: circulou que a Defesa Civil teria pedido doações nas residências de gaúchos — o deputado Maurício Marcon (Podemos-RS) repercutiu o tema. Uma vereadora escreveu que o dinheiro ao Pix oficial iria para os cofres públicos. Já a presidente da CCJ da Câmara, Carol de Toni (PL-SC), foi uma das que distorceram fala da ministra Simone Tebet, de que não era momento para enviar recursos.
  • Saúde: circulou nas redes sociais mensagens de que médicos estariam sendo proibidos de trabalhar e suas clínicas de atendimentos com o funcionamento interrompido, como repercutiu o deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO). Parlamentares também alegam que doações de medicamento estariam sendo impedidas e que haveria falta de vacina.

Entre no grupo do Whatsapp do Divinews e fique por dentro de tudo o que acontece em Divinópolis e região

comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estamos felizes por você ter escolhido deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de privacidade.

  1. Giovanna Penna Eirada disse:

    Enquanto essa galera não começar a perder com essas coisas não vão parar. Enquanto houver idiotas que idolatram essas figuras isso não vai ter fim. Infelizmente ser culto e pensar se tornou algo ruim no mundo. Se continuarmos assim estaremos queimando pessoas novamente em 2 ou 3 anos.

  2. José disse:

    LIXO OCIDENTAL

  3. Anônimo disse:

    Nem todos, mas, sempre um bolsonarista. Aff… que preguiça.

  4. Donizete disse:

    Acho que ele mesmo está se mostrando a verdadeira FAKE NEWS para a politica do pais, ele está se sobressaindo negativamente diante diante de uma situação calamitosa que está assolando o Rio Grande do Sul. Ficar despejando fake news sem o menor remorso, se preocupando apenas com a imagem bolsonarista que hoje denigre a imagem do pais lá fora. è muito triste ver um senador se encontrar nesta situação, envez de se preocupar com o bem das pessoas necessitadas, pessoas que perdeu TUDO, e fica aí nesse mundo mediocre, nessa hipocrisia com este posto de representante do senado federal, que lastima.

  5. Francisco disse:

    Isso mostra a falta de personalidade de um senador eleito para fazer o que não se deve. Só o fato de o mesmo aparecer com várias camisas de vários times de futebol do país, só aí por si só mostra que não tem personalidade, fica atirando pra todos os lados preocupado com os votos que por via das dúvidas vai que ganha né. É muito triste uma atitude dessa para uma situação tão comovente que estamos presenciando no Sul do Brasil. Como pode um ser pensar numa mediocridade dessas para desestabilizar uma tentativa de ajuda para um povo que está sofrendo tanto……

  6. Gustavo disse:

    A tristeza maior é que ele ainda não percebeu que isso não trás nenhum benefício para o país. A preocupação dele tão somente é fazer Fake News pensando que a imagem do atual presidente será arranhada, aí fica fazendo campanha para um político que está INELEGÍVEL. E o que o país ganha com isso????? Acho que ele ainda não percebeu que o seu ganho mensal é muito para não fazer nada em prol de uma nação, tendo em vista que uma gama de brasileiros depositou seu voto acreditando nessa nova geração de políticos. Mas o que se percebe é um político irresponsável que não se preocupa com o bem da nação.

Continua depois da publicidade