Calote: Agência de Viagem deixa passageiros de Divinópolis a pé, sem ver queima de fogos do réveillon de Copacabana, no Rio de Janeiro


O embarque e a viagem de 26 passageiros de Divinópolis que ocorreria as 21 horas da noite desta última sexta-feira (30), que intencionavam passar a entrada de ano, ou seja, o Réveillon no Rio de Janeiro, nas areias da praia de Copacabana  vendo a queima de fogos. Que para isso pagaram cerca de R$ 250 reais para um bate e volta foi totalmente frustrada – Segundo uma das turistas que comprou o pacote, o ônibus simplesmente não apareceu. (imagem mostra passageiros aguardando o ônibus) 

A história foi só imbróglio. A denunciante que prefere não se identificar é uma das que registraram o Boletim de Ocorrência Policial no posto da Rodoviária, local mais próximo de onde o ônibus sairia para as areias de Copacabana.

O contato inicial foi feito por causa de um anuncio no perfil da agência no Instagram ( @excursoes.miriamtur ). Ocasião que ela negociou o preço para mais três amigos dela. O valor que era inicialmente R$ 250 por pessoa, caiu para R$ 180 reais, que foi pago no início de dezembro. Há aproximadamente 10 dias o grupo de Divinópolis com 26 pessoas foi formado.

Ocorre que, segundo a frustrada turista, ontem mesmo, no dia do embarque, por volta das 15 horas a organizadora da excursão retirou quase todas as pessoas do grupo de whtasapp que ela havia criado. Foi quando o alerta foi ligado de que alguma coisa estava errada.

A organizadora da excursão teria criado um outro grupo, mas sem as pessoas de Divinópolis, com exceção de umas três pessoas, que conseguiram pegar o ônibus, não no local que havia sido combinado com o grande grupo, mas em outro.

O fato é que, aparentemente a empresa de turismo organizadora vendeu passagem acima da capacidade de um ônibus, pode ter tentado encher um segundo, mas não teria conseguido.

A turista de Divinópolis explica ainda que um único ônibus saiu de Belo Horizonte, passou em Pará de Minas e Itaúna, e já estava lotado, ao chegar em Divinópolis, só havia três poltronas livres, e por essa razão foi que pegou somente os três passageiros que estavam em outro local diferente do combinado com o grande grupo de 26 pessoas.

Após uma hora da chegada do “ônibus fantasma”, já que ele, o segundo não existia, os frustrados turistas, todos foram para um posto policial registrar o BO.

Na manhã deste sábado o Divinews em contato com a responsável pela agência, Miriam Santos, que já está no Rio deu a sua versão para os fatos: “Infelizmente um dos ônibus estragou, de última hora também ficamos sem guia pra levar o pessoal. Com isso tivemos que cancelar um dos ônibus, alguns não aceitaram, em Itaúna durante o embarque, o ônibus foi invadido por essa turma e não teve como buscar o pessoal de Divinópolis. Por contratempo pra reservar sempre enviamos, (temos que enviar) para segurar a empresa de ônibus, porém assim como reservas de hospedagem, eles têm custo, gastam, o que enviamos fica de crédito. Todos serão ressarcidos, as devoluções serão feitas, por nossa conta, ninguém ficará no prejuízo. Somos responsáveis Estamos atuando a quase 7 ano”.

O Divinews perguntou qual será o prazo de ressarcimento dos valores, porém, não obteve resposta à indagação.

A explicação foi contestada, pela denunciante que afirmou ter provas de que não ocorreu nenhum tipo de tentativa de invasão em ônibus algum em Itaúna, e reforçou que foi má fé mesmo. E que as providências estão sendo tomadas.

Passageiros aguardando

 

Onibus chegando ao Rio

Boletim de Ocorrência Policia registrado contra a empresa

 

9 comentários em “Calote: Agência de Viagem deixa passageiros de Divinópolis a pé, sem ver queima de fogos do réveillon de Copacabana, no Rio de Janeiro

  • 6 de janeiro de 2023 em 05:56
    Permalink

    Tem algo errado tudo isso, pq essa Miriam sempre apronta e agi de má fé, e nada acontece na justiça contra ela , leva na televisão e divulga tudo que está acontecendo, pq sabemos que quando planejamos uma viagem de passeio, é uma coisa muito séria e o única forma de descanso e distração, para nós que trabalhamos e corremos atrás o ano todo,
    Falta de respeito com pessoas humildes que junta um pouco do dinheiro sagrado para um passeio, e tudo isso acontece…

    Resposta
  • 3 de janeiro de 2023 em 10:47
    Permalink

    Ela é uma sem vergonha vive dando calote no outro ,cancelando viagens alguém tem que prender essa mulher

    Resposta
  • 2 de janeiro de 2023 em 17:31
    Permalink

    Em Pará de Minas ela também aplicou o golpe, compramos passagens pro réveillon saída dia 29/12 e dois dias antes ela mandou mensagem simplesmente cancelando e não falou se quer de reembolso, não responde as mensagens nem ligação.

    Resposta
  • 2 de janeiro de 2023 em 00:22
    Permalink

    Eu também fui vítima da Miriam Tur. Quando fiz um status no Whatsapp contando o que aconteceu comigo, uma moça que faz banho e tosa no meu cachorro disse que também já caiu no golpe da Miriam. Fui dar uma olhada no site Reclame Aqui, tem várias denúncias. Eu estava com viagem paga meses antes, a vista. Ia levar minha filha de 5 anos pra conhecer o mar. Comprei um monte de coisas pra levar. Malas prontas. Faltando poucas horas pro embarque enviei mensagem pra Miriam, e ela do nada disse que cancelou a viagem. Eu acordei com minha filha chorando com o baldinho de brincar na areia, e a boia. Isso foi em setembro. Até hoje não recebi meu dinheiro e estou TENTANDO fazer uma viagem no mesmo valor. Porque senão, fico sem dinheiro de volta. Vou, mas vou revoltada.

    Resposta
  • 1 de janeiro de 2023 em 18:18
    Permalink

    É uma estelionatária, uma legítima caloteira de mão cheia, aqui em Itaúna também nos aplicou um golpe e não nos levou para um especial em Caldas Novas após pagarmos mais de 1.300 reais por pessoa e até hoje NÃO NOS DEVOLVEU O DINHEIRO DAS PASSAGENS PAGAS. Estamos com um processo aberto contra ela na justiça de Itaúna na tentativa de recuperarmos os valores pagos mas esta Miriam não teve sequer a decência de aparecer na audiência e estamos aguardando as ações da justiça em nosso favor mas infelizmente a justiça está andando à passos de tartaruga nesta questão e o que mais nos chama a atenção é que existem outros processos contra ela por esse mesmo motivo e a justiça nada faz para impedir que ela fique lesando e dando prejuízo para outras pessoas tanto em Itaúna quanto em outras cidades aqui da região, infelizmente é isso.

    Resposta
  • 1 de janeiro de 2023 em 11:44
    Permalink

    Kkkkkkkkkkk Procon não tem que trabalhar 24h de segunda a segunda, finais de semana e feriados, ali também tem pessoas e não máquinas, os funcionários do Procon merecem descanso e lazer, segunda-feira é só o grupo procurar o Procon que tomaram as medidas cabíveis em cima da tal empresa. Bem frustrante e chato o que aconteceu com o grupo e isto não pode ficar sem punição.

    Resposta
  • 31 de dezembro de 2022 em 16:23
    Permalink

    Acho que essa pessoa que colocou esse comentário é alguém que queria estar no Procon mas não tem capacidade suficiente para isso. Nunca vi uma colocação tão burra igual a essa. Qual Procon no Brasil funciona em uma sexta-feira a noite, véspera de réveillon? As pessoas que precisarem do Procon com certeza no horário de expediente vai ter todo auxílio. Essas pessoas da turma do oba oba deveria para criticar ter pelo menos noção já que inteligência pelo visto falta é muito.

    Resposta
  • 31 de dezembro de 2022 em 14:32
    Permalink

    Onde está o PROCON de Divinópolis que nessa administração não está presente em nada e não auxilia esses consumidores, vergonha, o prefeito acabou com o Procon municipal de Divinópolis. Lamentável..

    Resposta
    • 2 de janeiro de 2023 em 10:46
      Permalink

      A questão não é só devolver o dinheiro. É o reveillon das pessoas ???

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

54  +    =  60