Barraco na família Azevedo: “Meu irmão não é flor que se cheire!”; “o povo de Divinópolis é vândalo e índio”, esbraveja Eduardo Azevedo (áudios)


Parece que as coisas não andam boas na “Azevedolândia”. Desde que o atual candidato ao Senado Cleitinho conseguiu entrar pra política, quando foi eleito vereador, parece que um dos seus maiores objetivos tem sido conseguir puxar o resto da família para a política. Tanto que foi o principal defensor da candidatura do irmão Gleidson Azevedo, atual prefeito de Divinópolis, e do outro irmão, Eduardo Azevedo, vereador e candidato a deputado estadual. Mas, nos bastidores, o clima é bem diferente. Apesar de passarem uma imagem de alinhamento político e discurso único, os irmãos não se apoiam, nem confiam um no outro.

O Divinews teve acesso a áudios compartilhados por Cleitinho e também por Eduardo Azevedo. Em um deles, aparentemente gravado antes da eleição para a prefeitura municipal, Eduardo Azevedo foi enfático ao dizer: “No Gleidson eu não confio. Diga-me com quem tu andas, que eu te direi quem tu és”, disse o atual vereador. Na conversa, ele ainda conta ter visto, em um computador no varejão da família, o texto com o plano de governo de Gleidson. E alertou que conhecia o irmão há 40 anos, e que ele não é uma pessoa confiável. Apesar dessa opinião polêmica, durante toda a campanha os dois apareciam juntos. Na busca por votos, para iludir os eleitores, os Azevedos sempre dizem se apoiar e comungar das mesmas opiniões e valores. Em trecho, Eduardo ainda disse “Deus me livre guarde se esse cara ganha”, se referindo à disputa pela prefeitura.

Em outras gravações, já com Gleidson a frente da prefeitura, Eduardo Azevedo continuou a criticar a postura do irmão. “O Cleiton (Cleitinho) é muito, muito medroso. Meu irmão é cagão. Se for pra entrar pra política e ser um “tanga frouxa”, fica em casa”. Aparentemente Eduardo estava condenando a falta de postura do irmão por não denunciar pedidos de cargos na prefeitura em troca de favores. É o que se espera de quem foi eleito com discurso de moralidade, mas pelo o que o próprio irmão diz, não parece ser algo que Gleidson costuma fazer. “Eu conheço meu irmão há 40 anos. Ele não é flor que se cheire, ele não é essa coisinha boa não”, completa Eduardo Azevedo sobre o próprio irmão.

“Povo de Divinópolis não tem cultura”

Em outros áudios, é possível ver que o único interesse da família Azevedo é conseguir votos, custe o que custar. Tanto que a verdadeira opinião deles sobre Divinópolis, a cidade que eles dizem amar tanto, é bem diferente do discurso que defendem publicamente. Em uma gravação, Eduardo Azevedo diz que “O povo de Divinópolis é vândalo, é índio”. Certamente os eleitores do clã Azevedo não gostariam de serem vistos dessa forma. Mas é claro que, diante das câmeras, nos vídeos de Tik-Tok e nos discursos políticos, o que é dito é bem diferente.

Em uma outra gravação, que parece ter sido feita por Cleitinho, atual candidato ao Senado, ele diz “Quanto mais gente a gente conseguir trazer pro nosso lado, melhor. Até domingo. Depois de domingo é outro dia”. Será que, assim como ele já traiu candidatos que o apoiaram, depois de domingo ele também deixaria de se preocupar com quem tiver coragem de votar nele? É possível confiar em quem apenas parece preocupado em convencer as pessoas até domingo? Já que depois de domingo, é outro dia, outra história…

Nos áudios, fica nítido que há um racha gravíssimo entre os Azevedos. Os três exploram a imagem um do outro. Gleidson foi eleito apoiado no lema “irmão de Cleitinho”. E Eduardo Azevedo, até então um desconhecido, assim como o irmão Gleidson, foi eleito vereador por ser “irmão de Cleitinho e de Gleidson”. Enquanto isso, fora dos olhares dos eleitores, o que parece é que os três não se suportam, nem se apoiam. Ao que tudo indica, a tal união familiar é apenas uma estratégia politiqueira e de marketing, que tem o único objetivo eleitoreiro de conseguir votos, custe o que custar.

Nas gravações de Eduardo Azevedo é possível deduzir que há algum motivo grave para que ele não confie no irmão, que ele diz não ser “flor que se cheire”. O que será que aconteceu para que ele reprove tanto Gleidson Azevedo? E Cleitinho, que sabia disso antes de projetar as candidaturas dos irmãos, foi omisso e mentiu ao usar a própria imagem para elegê-los.

Os áudios caíram como uma bomba, dois dias antes da eleição. Enquanto Cleitinho disputa uma vaga no Senado e Eduardo Azevedo é candidato a deputado estadual, o eleitor percebe como realmente é tratado pela família, que considera o povo de Divinópolis mal educado, sem cultura, “índio”.

Na busca por votos, vale fingir apoio mútuo? Vale esconder os próprios erros e passar pano para quem não é confiável, nem “flor que se cheire?”. Se o importante é conseguir apoio até domingo, já que “depois é outro dia”, é possível confiar que os eleitos serão representantes de seus eleitores? Se não confiam em si mesmos, como o eleitor pode ter certeza de que são realmente boas escolhas? Se Divinópolis é uma cidade de “povo sem cultura, mal educado, índio”, será que a cidade será prioridade para os Azevedos, depois que eles conseguirem os votos que querem? Ou será que, depois de atingirem os objetivos políticos, eles vão trair seus eleitores, assim como fizeram com seus aliados, e até com a própria família? São cenas dos próximos capítulos…

 

 

6 comentários em “Barraco na família Azevedo: “Meu irmão não é flor que se cheire!”; “o povo de Divinópolis é vândalo e índio”, esbraveja Eduardo Azevedo (áudios)

  • 2 de outubro de 2022 em 19:01
    Permalink

    Primeiro nós leitores temos que entender: cada um é um. Não é porque esse Gleidson tem ação “errada”, que todos os irmãos são sujos. Acho covardia misturar o lado pessoal, do profissional. Podem discordar de ações, falas e condutas de um dos irmãos, agora atacar a família eu acho uma truculência, péssima conduta e mediocridade muito grande. Ainda mais vindo desse portal que infelizmente tem adotado só postura de ataque principalmente ao Cleitinho. Algum redator não gosta dele, ou o dono tem parceria com a oposição ou é financiado pelos fazendeiros que perderam espaço na cidade, só pode. E antes que falam que eu estou “passando pano” na situação, se algum irmão está devendo algo, ele que seja cobrado, explique e corrija. Inclusive o Divinews poderia ir de encontro a algum dos Azevedo e pergunte a versão deles da história, pois é isso que um jornalismo imparcial e ético faz. Procurar as duas partes envolvidas. Em momento algum da matéria teve o famoso trecho “Os irmãos Azevedo foram procurados Divinews para prestar os esclarecimentos, mas até a publicação desta matéria não obtivemos sucesso no contato”. Atacar só da menos trabalho né?

    Resposta
  • 2 de outubro de 2022 em 07:37
    Permalink

    Não tem pra onde correr…o Delegado Silveira apoia o Ladrão. Os Azevedos não se bicam e os Aro são sangue da família Guilherme, que fez o que fez na Federação Mineira por décadas. Voto em branco.

    Resposta
  • 30 de setembro de 2022 em 16:06
    Permalink

    Esses Azevedos são os mais baixos e sem escrúpulos na cidade, incompetência pura, corrupção e falsidade, a carteira deles está no fim, vão voltar de onde vieram, ou melhor, de onde nunca deveriam ter saido

    Resposta
    • 1 de outubro de 2022 em 07:14
      Permalink

      Que LAMA Fetida. O mal lavado falando do sujo.Eh lamentavel. Ver a podriqueira que eh o CARTEL dos azevedos.
      Fica obvio que esse RACHA eh pelo poder.O atual candidato a deputado quer mais Poder. A denuncia nestes audios nao eh em prol do povo, poos o povo eh rebaixado a populacho.
      O que esse amorfo entende por cultura? Um cara que nao sabe nem falar ser chamado de indio, nao eh DEMERITO nenhum.Pois o Indio tem dignidade cultura raça ao contrario desse coiso HIPOCRITA que tentou desmoralizar a vereadora e candidata Lohana.Chegou a formatar um dossie pra jogar lama, ao que parece a LAMA vem da casa dos azevedos.
      Casa essa que varre pra debaixo do tapete as mentiradas e pouca vergonha.
      O tal do cleitim vai xingar vai tentar desacreditar a materia do divenews e vai dizer que vai processar…Vai gritar mais que porco indo pro abate.
      QUE VERGONHA. BORA PENSAR SAO OITO ANOS DE MENTIRADA INSUBORDINAÇAO E VERGONHA

      Resposta
    • 1 de outubro de 2022 em 19:15
      Permalink

      Amo a cultura indígena, perderam meu voto!Pelo amor de Deus, falar menos é fazer mais.

      Resposta
    • 2 de outubro de 2022 em 01:38
      Permalink

      Primeiro nós leitores temos que entender: cada um é um. Não é porque esse Gleidson tem ação “errada”, que todos os irmãos são sujos. Acho covardia misturar o lado pessoal, do profissional. Podem discordar de ações, falas e condutas de um dos irmãos, agora atacar a família eu acho uma truculência, péssima conduta e mediocridade muito grande. Ainda mais vindo desse portal que infelizmente tem adotado só postura de ataque principalmente ao Cleitinho. Algum redator não gosta dele, ou o dono tem parceria com a oposição ou é financiado pelos fazendeiros que perderam espaço na cidade, só pode. E antes que falam que eu estou “passando pano” na situação, se algum irmão está devendo algo, ele que seja cobrado, explique e corrija. Inclusive o Divinews poderia ir de encontro a algum dos Azevedo e pergunte a versão deles da história, pois é isso que um jornalismo imparcial e ético faz. Procurar as duas partes envolvidas. Em momento algum da matéria teve o famoso trecho “Os irmãos Azevedo foram procurados Divinews para prestar os esclarecimentos, mas até a publicação desta matéria não obtivemos sucesso no contato”. Atacar só da menos trabalho né?

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3  +    =  13