Mulher vai para hospital após complicações por procedimento estético em clínica particular


Segundo o Jornal O Tempo, uma mulher deu entrada em estado grave no Hospital Metropolitano Odilon Behrens, no bairro São Cristóvão, na região Noroeste de Belo Horizonte, após ter realizado um procedimento de estética em uma clínica particular da capital (que está em processo de renovação do seu alvará sanitário)  A paciente realizou lipoabdominoplastia na última quarta-feira (27) e foi transferida após complicações.

Ainda de acordo com o jornal, o procedimento teve início durante a manhã e foi finalizado no período da tarde, quando a paciente foi transferida para o quarto. De acordo com a médica responsável pela cirurgia, durante a noite, por volta das 20h, quando uma enfermeira foi providenciar a troca do soro, a paciente teve uma parada cardiorrespiratória. Ela precisou ser estabilizada e transferida em UTI móvel para o Hospital Odilon Behrens.

“Durante todo o percurso a paciente se encontrava estável sendo preservada sua saúde, segurança e zelo”, disse a assessoria da médica por meio de nota. A profissional relatou que, após contato com os responsáveis pelo Centro de Terapia Intensivo (CTI) do Hospital Odilon Behrens, foi informada de que a paciente se encontrava em vida e que seria submetida a alguns exames para avaliar o quadro clínico. “Os profissionais do Odilon Behrens já informaram que não ocorreu embolia pulmonar e nem perfuração de pulmão da paciente”, disse a profissional. A mulher, de acordo com a médica, ainda seria submetidas a exames para verificar o ocorrido.

Em nota, o Hospital particular onde o procedimento estético foi realizado disse que apenas presta o serviço de locação de bloco cirúrgico, com equipamentos e demais aparatos, para que os cirurgiões plásticos possam realizar as cirurgias. O Hospital disse ainda que mantém contato com a equipe do Odilon Behrens para acompanhar informações do quadro médico da paciente.

A Prefeitura de Belo Horizonte afirmou que o estabelecimento onde a cirurgia foi realizada possui alvará sanitário e que a autorização está em processo de renovação. O Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais (CRM-MG) disse que tomou conhecimento do caso e que iniciará os procedimentos necessários à apuração dos fatos, conforme os trâmites estabelecidos no Código de Processo Ético Profissional (CPEP).

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

20  +    =  25