Massagista é indiciado pela Polícia Civil por estelionato sexual


A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) indiciou, nesta semana, um massagista, de 52 anos, por violação sexual mediante fraude, conhecido como estelionato sexual, contra três mulheres, em Belo Horizonte – As vítimas registraram os fatos em maio de 2022 e, desde então, as investigações foram conduzidas pela Delegacia Especializada em Investigação à Violência Sexual – De acordo com a delegada responsável pelo caso, Cristiana Angelini, alguns fatos aconteceram em 2020, o que não impediu o indiciamento. “Mesmo com fatos acontecidos há dois anos, foi possível produzir provas suficientes para o indiciamento do suspeito” – O suspeito aguarda o andamento do processo em liberdade.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

34  +    =  35