Faixa em Delegacia da Polícia Federal em Divinópolis manifesta insatisfação da categoria com presidente Bolsonaro


Na manhã desta terça-feira (21), o Divinews tomou conhecimento que havia uma faixa afixada na própria fachada da Delegacia de Polícia Federal, em Divinópolis cobrando que o presidente Jair Bolsonaro honrasse sua palavra. O editor do site foi ao local e comprovou a veracidade da informação, da existência de fato da faixa, com a seguinte frase: “Bolsonaro honre sua palavra. Quem enfraquece a PF, fortalece a corrupção! – O Divinews tentou falar com alguns policiais federais e o delegado Chefe da Delegacia, porém, obteve apenas a informação que a faixa foi colocada pelo pessoal do sindicato de classe da categoria  – Mas é fato que, Não é de hoje que o clima interno na Polícia Federal, é de revolta e insatisfação com o governo de Jair Bolsonaro, o ambiente anda bem tenso. Ainda no início de maio, os delegados da PF subiram um tom e em Nota divulgada naquela ocasião anunciaram que iriam pedir a renúncia do ministro da Justiça, Anderson Torres pelo desprestigio e desrespeitoso tratamento do chefe do Executivo com a corporação 

Na nota, segundo o Estadão, a classe alertava que pretendia promover paralisações parciais e progressivas, e que servidores ligados à Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) poderiam entregar cargos de chefia e recusar convites para assumir postos. As medidas foram aprovadas em Assembleia-Geral Extraordinária.

Em 24 de maio, o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Luciano Leiro, reforçou,  a cobrança para que o presidente Jair Bolsonaro honre o compromisso que fez pela reestruturação da PF. O delegado abordou o assunto ao participar, por videoconferência, de Audiência Pública Extraordinária da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados.

“É preciso que o presidente da República cumpra com a sua palavra. É isso que os delegados da Polícia Federal esperam”, afirmou o presidente da ADPF na audiência, que foi realizada para debater o reajuste dos servidores públicos federais. O encontro contou também com a participação de lideranças de várias entidades representativas do funcionalismo.

Em seu pronunciamento, Luciano Leiro destacou que “todos os servidores públicos merecem a atenção devida” e lamentou que o governo não seja aberto ao diálogo. Ele também criticou a “falta de compromisso” do Executivo com as polícias da União e lembrou que a segurança pública é uma das principais bandeiras de campanha do presidente Bolsonaro. “Mas nós não estamos sendo tratados, realmente, com o devido respeito”, afirmou Luciano Leiro.

O presidente da ADPF lembrou, por exemplo, que o chefe do Executivo federal tem descumprido compromissos com a Polícia Federal desde 2019, quando, ao contrário do prometido, apenas as carreiras das Forças Armadas foram reestruturadas pela reforma da Previdência. Em outra quebra de compromisso, segundo Luciano Leiro, Bolsonaro não cumpriu, até o momento, a promessa de aplicar R$ 1,7 bilhão do Orçamento da União de 2022 na reestruturação das polícias da União.

“O presidente, em que pese ter, de fato, atuado para que o R$ 1,7 bilhão estivesse no Orçamento, e tudo foi feito para que esse R$ 1,7 bilhão fosse, de fato, para as forças de segurança, quem esteve na Câmara, naquele embate todo, sabe muito bem que era para ser exatamente voltado para a segurança pública. Houve o empenho do governo, foi sancionado o Orçamento. Mas, para nossa surpresa, mais uma vez a falta de compromisso é enorme deste governo, e, mais uma vez, nós ficamos de fora”, criticou o presidente da ADPF durante a audiência pública.

Luciano Leiro também destacou a importância do trabalho da Polícia Federal para o país e levantou dúvidas sobre os motivos que levam o governo a não valorizar a corporação.

“A Polícia Federal é uma polícia que investiga, é uma polícia de Estado, não de governo, mas é uma polícia que está sofrendo, sim, uma retaliação deste governo. Não sei por que, mas nos causa estranheza. A última novidade é que ele (Bolsonaro) faria um aumento diferenciado para  outros órgãos de segurança pública, e para a Polícia Federal não. Então, a quem interessa essa desvalorização dos policiais federais? A quem interessa essa desvalorização da Polícia Federal?”, questionou o presidente da ADPF.

Luciano Leiro frisou ainda que “o policial faz o seu juramento de sacrifício da sua própria vida, e ele sai, vai para a rua, e não sabe se volta. E, se ele não voltar, a família, grande parte, às vezes, não recebe nem a pensão integral”.

O presidente da ADPF acrescentou: “Uma polícia que traz, a cada R$ 1 (investido), R$ 5,3 de retorno para a sociedade. Todos os anos, R$ 43 bilhões vão para os cofres da União. E o nosso orçamento é de R$ 7 bilhões, mas, infelizmente, não há um respeito, por parte deste governo. Além de não haver negociação, não há, também, um compromisso”.

3 comentários em “Faixa em Delegacia da Polícia Federal em Divinópolis manifesta insatisfação da categoria com presidente Bolsonaro

  • 22 de junho de 2022 em 20:13
    Permalink

    Ano que vem a PF vai ter muita gente pra acordar as 06h da manha. Principalmente os membros de uma certa familicia ai.

    Resposta
  • 22 de junho de 2022 em 03:59
    Permalink

    Se eles tao levando ferro imagina o povao

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

19  +    =  26