Valéria Morato participa de evento cultural nas comemorações do centenário do PCdoB


A presidenta da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil e  membro do Comitê Central do PCdoB, Valéria Morato, esteve presente no evento que contou com participantes de todo país – Há exatamente um século, o Brasil vivia acontecimentos emblemáticos da sua história. O primeiro centenário da sua independência, a Semana de Arte Moderna e a chegada de novas lutas com a fundação do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), no dia 25 de março de 1922. Celebrando agora os 100 anos desse marco, a cidade de Niterói recebeu, nos dias 25 e 26 de março de 2022, o “Festival Vermelho – Floresce a Esperança”, realizado pelo PCdoB em parceria com a Fundação Maurício Grabois (FMG).

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) busca a transformação da sociedade, a partir da vontade coletiva de trabalhadores e trabalhadoras, defendendo em seu programa um Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento para o país. Busca a superação da crise do capitalismo, para combater as desigualdades, a violência, as injustiças e explorações, construindo uma nova sociedade digna, consciente e socialista.

“Nosso projeto de reconstrução do Brasil articula três grandes frentes: a primeira é a retomada do desenvolvimento econômico com a geração de empregos formais, a revogação das reformas trabalhista e da previdência; a segunda é a recuperação do protagonismo do Estado na indução deste crescimento, por meio de políticas setoriais que fortaleçam a indústria nacional, a ciência e a tecnologia; e a adoção de medidas urgentes de combate à fome, à carestia, e a retomada dos investimentos na saúde e na educação da população. Resumindo: queremos recolocar o povo no orçamento”, explica Valéria Morato, membro do Comitê Central do PCdoB e presidenta da CTB Minas.

A participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o ponto alto, no sábado (26), da programação do Festival. Ao lado de dirigentes e parlamentares comunistas, autoridades políticas, representantes de outros partidos e lideranças dos movimentos sociais, Lula participou do Ato Político Frente Ampla para Florescer a Esperança.

Boa parte dos discursos ressaltou a urgência da unidade em torno de uma nova candidatura presidencial de Lula, para derrotar o governo Jair Bolsonaro. O PCdoB aproveitou a ocasião para também tornar pública sua adesão a esse projeto político-eleitoral.
Para Valéria, Minas cumpre papel estratégico na recuperação do país. “Um dos grandes desafios atuais é reconfigurar a economia mineira, como superar o atual modelo de mineração para subordiná-lo ao desenvolvimento regional e à sustentabilidade. Neste contexto, o Estado precisa recuperar a capacidade de investimento e implementar políticas públicas capazes de dinamizar nossa economia e oferecer serviços públicos de qualidade para a população”.

CEM ANOS DE PCdoB
O PCdoB foi o primeiro partido nacional do país, em uma época em que a política se organizava apenas regionalmente, com o poder do coronelismo, dos mandos e desmandos das elites rurais e urbanas. Um marco para a transformação do ambiente de opiniões e disputas daquele período, que ecoa até hoje no cenário político e social.

Foi fundado no dia 25 de março de 1922, quando nove pessoas se reuniram, de forma clandestina, em uma casa na rua Visconde do Rio Branco, na cidade de Niterói. Com um pequeno grupo de trabalhadores, entre barbeiros, eletricistas, sapateiros, alfaiates, e que contava também com o jornalista e intelectual Astrojildo Pereira, nascia a Seção Brasileira da Internacional Comunista, o Partido Comunista do Brasil, que logo se espalharia por todo o território brasileiro em um movimento de massas.

Os comunistas e as comunistas foram peça fundamental da história brasileira em momentos como a luta contra as ditaduras, a mobilização unificadora de Luiz Carlos Prestes e da Coluna Prestes, a defesa do Petróleo e da soberania nacional, a luta contra a ditadura militar de 1964, a resistência popular do Araguaia, as Diretas Já e a luta pelo voto, os direitos da população negra, mulheres, LGBTQI+, a promoção da juventude, da população do campo e das periferias das grandes cidades.

O PCdoB se volta também à defesa do meio ambiente e da Amazônia, à busca pela sustentabilidade social e ambiental, à promoção da paz e da autodeterminação dos povos, ao fortalecimento da educação pública no Brasil, ao desenvolvimento da pesquisa nacional, ciência e tecnologia. Luta pelo acesso de todas e todos à saúde pública, com a universalização do atendimento e fortalecimento do SUS em todo território nacional.

Nos últimos anos, o PCdoB tem lutado continuamente em defesa da democracia e contra os graves retrocessos que assolaram a política nacional. Em 2022, o partido lutará pela virada na política brasileira, pela vitória do campo popular, pela frente ampla e pela derrota das forças que representam o neofascismo.

O FESTIVAL VERMELHO
O Festival Vermelho – Floresce a Esperança”, realizado pelo PCdoB em parceria com a Fundação Maurício Grabois (FMG) é uma festa inspirada em festivais internacionais de esquerda existentes ao redor do mundo. A programação reuniu uma maratona de atividades culturais, formativas e políticas como shows, debates, seminário, lançamento de livros, exposição, feira, gastronomia, mostra de cinema, convidados e participantes de todo o país, além de representações internacionais.

Todo o Festival aconteceu no Caminho Niemeyer, um conjunto de equipamentos culturais projetados pelo comunista Oscar Niemeyer ao longo da orla de Niterói. As atividades, para todos os públicos, aconteceram presencialmente e com trasmissões ao vivo.

INSPIRAÇÃO INTERNACIONAL
Inspirado em outras grandes festas da esquerda internacional, como a Festa do Avante (Portugal), a Fête de L’Humanité (França) e a Fiesta de Los Abrazos (Chile), o Festival Vermelho é uma grande celebração das ideias progressistas, celebrando a resistência e a alegria daquelas e daqueles que lutam por um mundo mais justo, igualitário, com diversidade e sustentabilidade.

Reunindo diversas gerações da militância e também o público em geral, o festival é um convite a pensar novos futuros para o Brasil e o planeta, em um momento de grandes desafios e contradições do sistema político, econômico e social vigente. Um encontro de muitas cores e muitos sonhos, para fazer florescer as nossas muitas esperanças.

SOBRE A FUNDAÇÃO MAURÍCIO GRABOIS
A Fundação Maurício Grabois (https://grabois.org.br/) foi instituída por decisão do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), e passou a existir em 2 de abril de 2008 como sucedânea do Instituto Maurício Grabois (IMG). É um espaço do pensamento marxista e progressista que leva o nome de um dos principais nomes comunistas da história do Brasil, um dos fundadores do partido e seu militante até a sua morte durante a Guerrilha do Araguaia, na resistência à ditadura militar brasileira.

NITERÓI E A CULTURA
Niterói é uma cidade em estado permanente de espetáculo. Rente à pintura monumental da Baía de Guanabara, vive envolta pela pulsação dos seus teatros e museus, dos traços geniais de Oscar Niemeyer, da música dos morros, das cores do seu povo, em uma profusão de vidas e criatividade que são a imagem do Rio e do Brasil.

No último ano, foi lançada a Carta de Direitos Culturais de Niterói e o movimento Cultura é um Direito, que repercutiram internacionalmente, com a chancela da UNESCO, e posicionaram a cidade em um circuito internacional de boas práticas em políticas culturais. Em paralelo ao Festival Vermelho, a cidade de Niterói lança programação especial relacionada ao centenário da Semana de Arte Moderna de 1922.

 

Publipost

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

7  +    =  14