Eleição na AMM não é de consenso entre prefeitos e pode parar na Justiça; Comissão Eleitoral teve funcionários indicados pelo atual presidente


A chapa montada para concorrer a  eleição para o próximo mandato, com o apoio do atual presidente da Associação Mineira de Município, Julvan Lacerda, prefeito da cidade de Moema, que inicialmente  foi “vendida” para a mídia, como se fosse de consenso/chapa única, para de uma  eleição que inicialmente está prevista para acontecer amanhã, sexta-feira (1/4) está se provando que ela não tem o apoio de todos os prefeitos votantes e que compõe a entidade, portanto, não é de unanimidade. Se a eleição de fato ocorrer, com os componentes que fazem parte da chapa única e “unânime”, seu resultado poderá ser contestado na justiça.

O prefeito de Machado, Maycon Willian (PSB), já acionou a justiça pelo fato da sua chapa “Renovação Democrática, ter sido indeferida pela Comissão Eleitoral da AMM.

A única chapa considerada elegível foi a  “Unidos pelo Municipalismo”, que é presidida pelo prefeito de Coronel Fabriciano, Marcos Vinicius da Silva Bizarro (PSDB), com o apoio de Julvan Lacerda, presidente da AMM

Existem várias irregularidades que foram apontadas pelo prefeito de Machado no veto à inscrição da chapa “Renovação Democrática”. Entre elas, o fato de a comissão eleitoral responsável pela impugnação ser formada por funcionários que teriam sido indicados por Julvan Lacerda. Isso, no entendimento do prefeito de Machado e de seus apoiadores, colocaria o processo sob suspeição, vez que Lacerda é apoiador da única chapa aceita.

Maycon Willian alega ainda que o processo eleitoral ocorreu sem transparência, com edital publicado faltando apenas 5 dias para a eleição e, ainda assim, somente no site da AMM. Ele solicitou à Justiça o adiamento das eleições. A ação seria impetrada de forma on-line.

Segundo a AMM, o edital para as eleições do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal foi publicado no Diário On-line da entidade e também afixado no quadro de avisos, além de ter sido enviado a todos os prefeitos aptos a votar. Procurado pelo Hoje em Dia, jornal que gerou e reprodução da matéria além de ter ouvido outros prefeitos que preferiram o anonimato, Julvan Lacerda respondeu, por meio de assessoria, que não iria comentar o caso.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3  +  3  =