Dia 08 de março foi celebrado o Dia Internacional da Mulher e por isso, o Café com Leitura de hoje vem falar da representatividade feminina na Literatura.


Desde que o mundo é mundo, as mulheres lutam para ocupar espaços. Seja nas urnas, no mercado de trabalho, na academia e também na literatura. Para ilustrar como essa luta não tem sido nada fácil, trago aqui algumas curiosidades nada agradáveis.

Você sabia que …

  • O Prêmio Nobel de Literatura existe desde 1901, mas só foi concedido a 14 mulheres em sua história?
  • Durante os primeiros 80 anos de existência da Academia Brasileira de Letras, nenhuma mulher fez parte de qualquer cadeira?
  • A Academia Brasileira de Letras tem 40 membros, mas atualmente apenas seis mulheres ocupam cadeiras?
  • A autora da saga Harry Potter foi orientada a usar um pseudônimo masculino por medo de que as pessoas não lessem seu livro se soubessem que foi escrito por uma mulher.

Nos últimos anos, novas escritoras têm conquistado espaço no mercado editorial e nos presenteando com obras que tratam das mais diversas e complexas questões da vida, com o olhar sensível, detalhista e perspicaz da mulher. Que bom pra nós!

Comprometida em dar mais visibilidade ao trabalho feminino na literatura e ao protagonismo feminino e sua importância na transformação da sociedade, hoje venho indicar o “Livro Extraordinárias: Mulheres que revolucionaram o Brasil”.

A história é escrita por homens e, por isso, quase sempre, protagonizada por eles. O livro que venho indicar nessa Semana da Mulher traz à tona mulheres que tiveram e ainda têm um papel importante na construção da história brasileira e foram apagadas por anos de uma cultura machista e patriarcal que insiste em silenciar e esconder a força, importância e o protagonismo feminino.

Elas mudaram (e estão mudando) a nossa história. Mas você conhece a história delas?

SINOPSE: Dandara foi uma guerreira fundamental para o Quilombo dos Palmares. Niède Guidon descobriu os registros rupestres mais importantes do nosso território. Indianara Siqueira é uma das lideranças mais atuantes da comunidade trans. Essas e muitas outras brasileiras impactaram a nossa história e, indiretamente, a nossa vida, mas raramente aparecem nos livros. Este volume, resultado de uma extensa pesquisa, chega para trazer o reconhecimento que elas merecem. Aqui, você vai encontrar perfis de revolucionárias de etnias e regiões variadas, que viveram desde o século XVI até a atualidade, e conhecer os retratos de cada uma delas, feitos por artistas brasileiras. O que todas essas mulheres têm em comum? A força extraordinária para lutar por seus ideais e transformar o Brasil.

Dia Internacional da Mulher. Dia de luta!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

6  +  4  =