Governo Bolsonaro volta atrás e desiste de cobrar receita medica para vacinar crianças contra covid-19


O Governo Bolsonaro voltou atrás e decidiu que não será obrigatório a receita médica para vacinar crianças de 5 a 11 anos – O anuncio da decisão do Ministério da Saúde foi feito nesta quarta-feira (05) em entrevista coletiva na sede do órgão. Para a imunização será necessário apenas a apresentação de uma autorização dos pais, se no momento da vacinação um dos dois, a mãe ou o pai não estiverem presentes.  A decisão do recuo foi tomada após a Audiência Pública realizada, ontem, terça-feira (04) – Dos 18 participantes apenas três foram contrários a imunização de crianças.

O uso de doses pediátricas da vacina Pfizer para crianças de 5 a 11 anos foi autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 16 de dezembro de 2021. No entanto, apesar do aval do órgão regulador, cabe ao Ministério da Saúde adquirir o imunizante e incluir o público infantil no Programa Nacional de Imunizações (PNI).

De acordo com a Anvisa, a vacina será aplicada em duas doses, com intervalo de 21 dias entre cada uma. Além disso, a dosagem do imunizante será especial, de apenas 3 microgramas. Para adultos, o volume é de 10 microgramas.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5  +  3  =  

PODCAST: escuta essa!!