“HISTÓRIA INUSITADA”: Vans de hospital de Divinópolis (CSSJD) inexplicavelmente são encontradas “abandonadas” em Contagem


A matéria investigativa foi revelada pelo jornalista Lucas Ragazzi,  da Rádio 98 Live – Segundo o profissional foram localizadas três vans equipadas e prontas para realizar atendimentos odontológicos e que pertencem, segundo dados do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), à Fundação Geraldo Corrêa, administradora do Complexo de Saúde São João de Deus, em Divinópolis, e estão abandonadas há pelo menos cinco meses em um lote no bairro Eldorado, em Contagem. O local fica a cerca de 140 quilômetros de distância do hospital proprietário dos consultórios móveis.

O jornalista contou que a reportagem monitora o local desde o final de junho, e que em todas as idas ao lote confirmou que os veículos estão lá. Eles estão em ótimas condições e, de fato, são novas. A documentação do Detran indica que as vans foram compradas em julho do ano passado e emplacadas em outubro de 2020

Investigação

A matéria segue afirmando que por meio de imagens de satélite do Google indicam o lote em que as vans estão abandonadas era, até o meio de 2020, um terreno baldio. Agora, o local foi cimentado. Segundo vizinhos, os veículos chegaram por volta de março e, desde então, não recebem visitasNa fachada, o espaço é identificado como lava-Jato, entretanto, o local aparenta não nunca ter recebido clientes.

O lote é de propriedade, de acordo com documentos da Prefeitura de Contagem, de um empresário falecido em 2008. Procurados pela reportagem, a família do suposto dono do terreno diz desconhecer o local e que o inventário do homem não faz referências ao endereço no bairro Eldorado. Na vizinhança, diz-se que o lote foi vendido há mais de uma década e, atualmente, pertence a um grupo político.

Assessoria de Imprensa do CSSJD

A matéria publicada pela 98 diz que ao questionar a assessoria de imprensa do Hospital São João de Deus recebeu a explicação que as vans foram adquiridas com recursos próprios do hospital e em “parceria com a Associação dos Diabéticos de Contagem (ADIC)”

A reportagem pediu acesso ao termo de parceria e documentação que formalizou o acordo entre a entidade privada e o Complexo de Saúde, mas teve a solicitação negada com o argumento de que, por “questões da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)” não poderia fornecer o documento.

Ainda segundo a assessoria do hospital, os atendimentos odontológicos não estão sendo realizados com as vans por conta da Resolução 7617, da Secretaria de Estado de Saúde (SES), que proíbe a realização de procedimentos cirúrgicos em regime de mutirão. A resolução citada foi feita e publicada em 21 de julho deste ano. A reportagem da 98 acompanha o paradeiro das vans no lote desde o final de junho.

A nota do hospital, enviada para a emissora diz que os veículos encontram-se “devidamente abrigados em local apropriado” e que a “responsabilidade pela guarda e manutenção das vans em perfeitas condições é da Associação”.

Versão ao Divinews

O Divinews ao questionar a presidente da Fundação Geraldo Correa, Elis Regina Guimarães, recebeu a explicação que as vans foram adquiridas para tratamento dentários de deformidade crânio facial, que não estão sendo feitos devido a pandemia da covid-19.

Elis Regina explicou ainda que, o motivo das vans estar lá é por não existir local para guardá-las em Divinópolis, e que foram sim, adquiridas por meio de parceria com a instituição de contagem. Chegaram a fazer alguns atendimentos lá, mas que não trouxeram os veículos.

Nota Oficial da Assessoria de Comunicação do CSSJD (13h22min)

Em detrimento à matéria publicada na data de hoje, 17 de agosto de 2021, pela 98FM Live de Belo Horizonte, a Fundação Geraldo Corrêa/Complexo de Saúde São João de Deus, vem por meio desta esclarecer que as referidas vans localizadas em um pátio na cidade de Contagem, foram adquiridas com recursos próprios e em parceria com a ADIC – Associação dos Diabéticos de Contagem, sendo destinadas para a realização de atendimentos odontológicos sociais em todo o estado de Minas Gerais, devido ampliação de seus serviços odontológicos, na qual irá capitar pacientes para a recuperação de deformidades crânio faciais, tornando o CSSJD referência estadual, ficando a cargo da associação todos os custos para a realização dos atendimentos, bem como o deslocamento e a manutenção dos veículos e despesas com os profissionais. Tal parceria foi inclusive autorizada pelo Ministério Público das Curadorias da Comarca de Divinópolis.

Entretanto, os atendimentos odontológicos ainda não estão sendo realizados devido às restrições impostas pela pandemia da COVID-19, que por meio da Resolução nº 7617, da Secretaria de Estado da Saúde – SES, proibiram a realização de procedimentos em regime de mutirão, uma vez também que estão suspensos os atendimentos eletivos
e aglomerações.

Sendo assim, segundo informado pela Associação, os veículos estavam devidamente abrigados. Entretanto, face às denúncias da 98 FM, no último sábado, dia 14, as vans foram buscadas pelo CSSJD e transferidas para um outro pátio, desta vez aqui em Divinópolis (Rua Benedito Gonçalves, 1651 – Distrito Industrial), onde seguem devidamente abrigadas em um estacionamento de ônibus, que foi locado pelo CSSJD.

Por fim, é importante destacar que durante todo o tempo em que os veículos estiveram em Contagem, a responsabilidade pela guarda e manutenção dos veículos em perfeitas condições era da ADIC.

 

Posteriormente a Assessoria atualizou a Nota Oficial (13h44min)

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em detrimento à matéria publicada na data de hoje, 17 de agosto de 2021, pela 98FM Live de Belo Horizonte, a Fundação Geraldo Corrêa/Complexo de Saúde São João de Deus, vem por meio desta esclarecer que as referidas vans localizadas em um pátio na cidade de Contagem, foram adquiridas com recursos próprios e em parceria com a ADIC – Associação dos Diabéticos de Contagem, sendo destinadas para a realização de atendimentos odontológicos sociais em todo o estado de Minas Gerais, devido ampliação de seus serviços odontológicos, na qual irá capitar pacientes para a recuperação de deformidades crânio faciais, tornando o CSSJD referência estadual, ficando a cargo da associação todos os custos para a realização dos atendimentos, bem como o deslocamento e a manutenção dos veículos e despesas com os profissionais. Tal parceria foi inclusive autorizada pelo Ministério Público das Curadorias da Comarca de Divinópolis.

Entretanto, os atendimentos odontológicos ainda não estão sendo realizados devido às restrições impostas pela pandemia da COVID-19, que desde o seu inicio foi proibida a realização de procedimentos em regime de mutirão, uma vez também que estão suspensos os atendimentos eletivos e aglomerações.

Sendo assim, segundo informado pela Associação, os veículos estavam devidamente abrigados. Entretanto, face às denúncias da 98 FM, no último sábado, dia 14, as vans foram buscadas pelo CSSJD e transferidas para um outro pátio, desta vez aqui em Divinópolis (Rua Benedito Gonçalves, 1651 – Distrito Industrial), onde seguem devidamente abrigadas em um estacionamento de ônibus, que foi locado pelo CSSJD.

Por fim, é importante destacar que durante todo o tempo em que os veículos estiveram em Contagem, a responsabilidade pela guarda e manutenção dos veículos em perfeitas condições era da ADIC.

 

4 comentários em ““HISTÓRIA INUSITADA”: Vans de hospital de Divinópolis (CSSJD) inexplicavelmente são encontradas “abandonadas” em Contagem

  • 26 de agosto de 2021 em 09:34
    Permalink

    Deputado Leo Motta, pode pesquisar…
    Ele as usou na campanha do filho dele para arrecadar votos.
    Desfilou com elas nas ruas de Contagem como se tivesse comprado pra beneficiar a cidade.
    Inclusive elas ficaram estacionadas num projeto “filantrópico ” aqui no bairro Riacho, mas por incrível que pareça, as vans sumiram do bairro assim como o projeto dele. Este deputado é filiado ao PSL, e está envolvido em outros escândalos com dinheiro público. Este é mais um “cidadão de bem” que entra pra política na carona da alienação e desinformação alheia…
    #foraleomotta
    #forabolsonarogenocida

    Resposta
  • 19 de agosto de 2021 em 12:41
    Permalink

    Maracutaia…Treta…Eita São João de Deus…Tem uma cabeça de burro enterrada lá,anos e anos de má gestão….

    Resposta
  • 17 de agosto de 2021 em 14:38
    Permalink

    A parte mais interessante nesta história é a parte que fala do terreno em Contagem onde estavam as vans:
    ” O lote é de propriedade, de acordo com documentos da Prefeitura de Contagem, de um empresário falecido em 2008. Procurados pela reportagem, a família do suposto dono do terreno diz desconhecer o local e que o inventário do homem não faz referências ao endereço no bairro Eldorado. Na vizinhança, diz-se que o lote foi vendido há mais de uma década e, atualmente, pertence a um grupo político”. Ano que vem é ano de eleições. E eu pergunto: Quem são os políticos” ligados” ao referido hospital? Sua administração está alinhada com eles?

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2  +  4  =  

PODCAST: escuta essa!!