Líder sindical do Sintram pede que vereadores apoiem revisão salarial dos servidores públicos de Divinópolis (vídeo)


Nesta quinta-feira (09), o líder sindical do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e da Região Centro-Oeste de Minas Gerais (Sintram), Leonardo Rosa, solicitou o uso da fala na Tribuna Livre da Câmara Municipal para pedir de forma veemente que os vereadores apoiem a  recomposição salarial dos servidores públicos da cidade. Em outras palavras pedir que a Lei n°8.083, a qual dispõe sobre o Gatilho Salarial seja cumprida pelo prefeito de Divinópolis.

O membro do Sintram frisou que o desejo da categoria e de todo funcionalismo divinopolitano é o reajuste de acordo com o acompanhamento do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA*). “Este ano nós tivemos algo diferente que foi a (lei) 173. Eu inclusive tomei a liberdade de imprimir o artigo 8° dela e deixar na mesa de cada um dos senhores, para que quando tiverem tempo dêem uma lida. A Lei diz o seguinte. ‘Fica impedido criar despesas acima da inflação.’ Porém ela fala que tem que ser mantido o poder de recomposição salarial. Tem que ser mantido o poder de compra dos servidores. Ele não pode ter o seu poder de compra prejudicado”, frisa. Leonardo complementou após trazer a tona um artigo da Constituição Federal, para pontuar aos vereadores. “Não estamos pedindo aumento. Só estamos pedindo para ser recomposto parte do que nós perdemos.”, complementa.

Na sequência, o sindicalista endossou alguns aumentos em itens em relação a 2020 para este ano e o porque a recomposição é essencial para cobrir as despesas das pessoas. “Não sei se vocês aqui tem costume de frequentar supermercados ou se tem alguém que faz compra para os senhores. Eu faço as compras da minha casa. E posso garantir aqui para os senhores sem medo de errar. Do ano passado pra cá, a mesma compra fica cem reais mais caro. A carne aumentou, o arroz aumentou o óleo aumentou. Tenho uma moto e um carro. São velhos mas estão na garagem. Quando vou abastecer, eu vejo a diferença do preço do combustível. Eu como servidor público passo por isso. E ao contrário do que muitos dizem por aí, nós não somos marajá”, endossa.

O servidor sensibilizou os parlamentares quanto o salário de uma das categorias mais essenciais durante a pandemia, os quais tem encarado o combate da covid-19 na cidade e todo mundo. Os profissionais da saúde. E também cobrou informações de quantos morreram pela covid-19 em exercício da função. “O salário de um auxiliar, um técnico de enfermagem hoje é R$.1507 e eles estão lá na linha de frente contra a pandemia, se expondo, correndo risco de morte. Nós solicitamos a prefeitura que divulgasse, quantos servidores morreram de covid? Eles não nos dão resposta porque eles não tem esse número. Eles não sabem quantos de nós partiram. Por que? Porque hoje nós servidores públicos somos só um número.”, sensibiliza.

Leonardo relembrou ainda em relação a negligência quanto a contaminação dos servidores e dos parentes deles, que acabam sendo colocados em risco de modo indireto. “Eles não sabem quem é Carlos, quem é Maria, quem é Luciano. Hoje se um de nós morrer, amanhã contratam outro e colocam em nosso lugar. Sem falar que estamos colocando em risco nossos familiares, que também podem se contaminar e vir a óbito.”, relembra.

Parecer do TCE-MG e outros municípios da base do Sintram que concederam a recomposição salarial

Ainda na sua fala, o líder sindical destacou que o Tribunal de Cobras do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) é já garantiu a Sintram o direito dos servidores públicos a recomposição salarial. “O parecer do TCE é favorável a nós. E quase 80% dos municípios que pertencem ao Sintram concederam a revisão. Concederam aquilo que a inflação correu dos nossos salários. Inclusive municípios grandes também. Não foi só municípios pequenos não. Como a cidade do porte de Juiz de Fora, com mais de 500.000 habitantes que concedeu a revisão. Então eu entendo que não há nenhum impedimento legal.”, destaca.

Na conclusão, o sindicalista cobra apoio dos parlamentares para que os agentes políticos da Câmara fiscalizem e cobrem de Gleison Azevedo, a fim de que a prefeitura faça a revisão dos ordenados do funcionalismo divinopolitano. “O que é feito pelo prefeito deve ser fiscalizado pelos senhores. Eu venho interceder em nome de cada um dos servidores públicos de Divinópolis. Para que os senhores estejam fiscalizando e cobrando do prefeito. Eu sei que muitos aqui já me falaram. ‘Por que vocês não judicializam?’. Essa resposta já foi dada, mas eu volto novamente a explicar pros senhores. Nós judicializamos em 2016. Até hoje não saiu. Se a gente judicializam agora, daqui uns sete, oito anos vai vir um desembargador aqui e falar o seguinte. ‘Não cabe ao judiciário criar despesa para o executivo.’. Portanto, apesar de termos um direito. De entender que isso é líquido e certo. Nós viemos aqui interceder e pedir que os senhores possam estar fiscalizando e cobrando.”, concluiu.

*IPCA é o índice oficial da inflação e mede, mensalmente, o custo de vida de famílias brasileiras com renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos, de acordo com cálculo do IBGE.

4 comentários em “Líder sindical do Sintram pede que vereadores apoiem revisão salarial dos servidores públicos de Divinópolis (vídeo)

  • 6 de agosto de 2021 em 18:51
    Permalink

    Os servidores são as engrenagens que faz funcionar a grande máquina pública. Eles são, os administradores apenas estão. O trabalho do sindicato para provar a necessidade e direito da recomposição está aí para todos verem, traçadas por órgãos sérios e responsáveis. Acredito que falta realmente boa vontade nesta negociação. Os servidores estão trabalhando no limite, angustiados, penalizados por um Governo que os desmerecem começando da mais alta esfera. Foram os primeiros a terem benefícios congelados para justificar economia, como se fossem culpados pela má organização e falta de planejamento do Governo Federal para enfrentar a pandemia. Está na constituição a obrigatoriedade do Governo em suprir seu povo em caso de guerras, pandemias. Mas decidiram arrebentar a corda para o lado mais fraco. Faça-me o favor! Lamentável.

    Resposta
  • 5 de agosto de 2021 em 21:29
    Permalink

    Deixa de ser retardado Wagner… Sintram é sindicato settrans multa….

    Resposta
  • 5 de agosto de 2021 em 20:13
    Permalink

    Parabéns ao Sintram pelo esforço e conscientização ao servidor municipal… Pois é… Muito difícil né… Estamos sem valor mediante a todos… Lembrando que quem está a frente da pandemia são os funcionários públicos… Contaminação, vacinas e tratamento… Ao invés dele dar a recomposição salarial o excelentíssimo prefeito está é cortando nós salários… Só Deus para interceder para os funcionários públicos…

    Resposta
  • 5 de agosto de 2021 em 18:35
    Permalink

    Tinha é que acaba com o sintran e por grada municipal

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

18  +    =  27