Diretoria do SINTRAM e assistentes sociais discutem redução do quadro da Secretaria de Saúde, e isonomia no pagamento de insalubridade


A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Sintram) reuniu-se na manhã de segunda-feira (25) com representantes dos assistentes sociais que prestam serviços à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) da Prefeitura de Divinópolis. Além da presidente do Sintram, Luciana Santos, também participaram do encontro o vice-presidente Wellington Silva, e a diretora de Formação Sindical, Geise Silva. Representando a categoria participaram as assistentes sociais Érika Tavares, Madalena Amaral, Olsymara Cavalcanti e Priscila Camargo.

A principal reivindicação da classe é a reposição dos assistentes sociais que foram afastados da Secretaria Municipal de Saúde por motivos diversos. Um levantamento extra-oficial feito pela categoria constatou que mais de 20 assistentes sociais deixaram a Semusa ao longo das últimas administrações. Entre os motivos estão cessões de profissionais para outras secretarias, aposentadorias, exonerações a pedido e falecimentos. A redução do quadro sem que houvesse reposição gerou uma grande sobrecarga de trabalho, exigindo de cada profissional quase que dobrar suas atividades. Além da reposição do quadro funcional, os assistentes sociais também reivindicam isonomia no pagamento de insalubridade e valorização da categoria.

As reivindicações da classe serão levadas pelo Sintram para discussão com o secretário municipal de Saúde, Alan Rodrigo da Silva, e outros representantes da pasta. A próxima reunião entre a diretoria do Sindicato e a equipe da Semusa está marcada para o dia 1º de fevereiro.

 

 

5 comentários em “Diretoria do SINTRAM e assistentes sociais discutem redução do quadro da Secretaria de Saúde, e isonomia no pagamento de insalubridade

  • 28 de janeiro de 2021 em 11:04
    Permalink

    Sociólogos cadê vcs!
    Vamos a luta

    Resposta
  • 27 de janeiro de 2021 em 16:31
    Permalink

    eu quero salario dobrado também.
    detalhe trabalhando isso tudo 3 horas por dia.
    esqueci férias em dobro 4 meses por ano.
    pelo menos salario de 12 mil por mês por favor.

    Resposta
    • 30 de janeiro de 2021 em 10:11
      Permalink

      Espero que você tenha consciencia que estudamos muito para ter o titulo de Assistente Social, profissional de Serviço Social por Universidade. A função de assistente social é técnica! Assim como do médico,do psicólogo. Portanto, quem ganha 12 mil por mês é secretário municipal. Pra você ter uma ideia, na década de 90, meu pai e eu pagávamos dois salários minimos e meio na PUC MINAS, excelência em escola. Hoje, nosso salário pra 4 horas não é digno nem de pagar uma Universidade!
      Somos concursados, estudamos, seguimos leis trabalhistas. E estamos em trabalho com eficiência e eficácia.
      Você e outros quem criticam, precisam, primeiro: Conhecer o papel do Serviço social na sociedade; conhecer todas as leis do servidor. Para não fazer esse infeliz juizo de valor!
      Infelizmente, no Brasil, país que mais precisa de políticas públicas sociais de qualidade, com conhecimento técnico do Serviço Social, não é valorizado. Ao contrário dos outros países do mundo!
      Você e outros precisam investigar e cobrar melhor dos cargos comissionados, quem representam os políticos eleitos pelo povo.
      E, se você e outros, soubessem a importância, não só do assistente social como de outros profissionais servidores públicos, nos defenderiam!!
      Eu, aqui me pronuncio e me apresento: Olsymara Cavalcanti, assistente social, CRESS4263/6região, concursada na prefeitura de Divinópolis desde 20/055/1993, vítima de vários assédios morais e perseguições políticas no percurso do meu trabalho, por um único motivo: DEFENDER MEUS USUÁRIOS, TENTAR FAZER VALER O SABER PROFISSIONAL! QUER CONHECER MAIS? ME PROCURE, Trabalho na Unidade de Saúde Nossa Senhora das Graças e estou à disposição, afinal: sou trabalhadora paga por todos nós, inclusive eu!

      Resposta
  • 27 de janeiro de 2021 em 10:14
    Permalink

    E os Sociólogos como ficam!
    Estamos nesta luta também, principalmente para fazer a carga horária de quatro horas de direito, estamos a tempos fazendo oito horas devido falha como sempre do sistema e aí como ficamos…..

    Resposta
    • 30 de janeiro de 2021 em 10:14
      Permalink

      Se organizem, colegas sociológos! Nos organizamos e nós solicitamos pauta no sindicato. Direito coletivo! Façam o mesmo, e se organizem para fazer valer seus direitos! A luta é de cada categoria profissional e de todos os servidores. Olsymara

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!