Divinópolis “anestesiada” assiste a 63ª morte por Covid-19, com empresário em pé de guerra para abrir empresas no sábado (17)


O efeito  “anestesia” talvez seja por que o maior número de mortes ocorra muito mais entre os idosos, e não na faixa etária jovem, que é produtiva. O  fato é que a cidade ao atingir a 63ª morte, a paciente de 94 anos que, segundo informações da secretaria de saúde, tinha doença neurológica crônica, passa a ser somente mais um número, a fazer parte de um gráfico, e de mórbida estatística. Não influenciando em nada que vários empresários ignorando a regressão da ONDA VERDE para a ONDA AMARELA dentro do Programa Minas Consciente, em que é preconizada algumas restrições, queiram no próximo sábado abrir o comércio sustentados no prejuízo econômico de suas empresas (veja matéria em breve)

63ª Vítima

A paciente do sexo feminino de 94 anos apresentava doença neurológica crônica. Em 10/09, ela foi hospitalizada no Hospital Santa Mônica. Em 14/09, foi coletado exame de PCR que detectou positivo para a doença. No dia seguinte a paciente foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), saindo da unidade em 03/10. Seu óbito ocorreu na segunda-feira (12/10).

Números

São 13866 casos suspeitos, com 1.585 confirmações, 581 casos descartados, 1443 pacientes recuperados, e 12 pessoas aguardando resultado dos exames. A taxa de isolamento social no município é de 32%.

As notificações apontam que na faixa etária considerada como idosa e de risco, acima de 60 existem menos casos notificados, 1.459; do que na faixa entre 20 e 39 anos, 6.811; e também menos do que na faixa etária de 40 a 59 anos, 4.243. Entretanto é acima de 60 que ocorrem mais mortes.

Também nos casos confirmados de pessoas com a doença, na faixa etária que vai dos 20 até 39 anos, é a maior 635; enquanto as de 40 a 59 anos o número é de 574. E os de riscos, acima de 60, são 284 pessoas.

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!