Câmara de Divinópolis quer cancelar título de “Cidadão Honorário” do advogado Robervan Faria


Diante dos últimos acontecimentos envolvendo o nome de Robervan Faria, a Câmara de Divinópolis através do  Projeto de Resolução, número CM-005 de 21 de agosto, pela primeira vez na história  do Legislativo pretende cancelar a concessão da honraria de “Cidadão Honorário” ao advogado ele concedido.

Considerando que o Cidadão Honorário é uma honraria que valoriza os cidadãos de fora que passam a residir em Divinópolis e são escolhidos por suas histórias de vida honrada e ilibada; considerando que o cidadão Robervan Faria que recebeu o título de Cidadão Honorário em 2018 foi outorgado pelo Poder Legislativo Municipal destacando aqueles com comportamento probo; Considerando os documentos apresentados à Câmara Municipal de Divinópolis pelo Município que demonstram que o profissional do direito recebeu recursos através de precatório não transferindo à sua representada o que era de direito; considerando que, em virtude da apropriação indébita, o Ministério Público de Minas Gerais enviou a Policia Civil de Minas Gerais abertura de inquérito criminal.

O presidente da Câmara de Vereadores, o vereador Rodrigo Vasconcelos de Almeida Kaboja, com as assinaturas dos vereadores, Adair Otaviano; Ademir Silva, César Tarzan, Edsom Sousa; Eduardo Print Junior; Marcos Vinicius e Renato Ferreira, no uso de suas atribuições legais, promulga a Resolução de cancelar o Título de Cidadão Honorário concedido em 2018 ao cidadão Robervan Faria.

Os demais vereadores, Josafá Anderson, Matheus Costa, Raimundo Nonato, Janete Aparecida, e Roger Viegas, preferiram não assinar o projeto. Alguns afirmam que é preciso esperar que a Justiça defina de fato a situação do advogado, através do Julgamento do processo.

Com isso, no artigo 2º ficará determinado que após passar pelo plenário, o nome do cidadão Robervan Faria deverá ser retirado do arquivo oficial da Secretaria Legislativa e da Galeria de Homenageados no site da Câmara Municipal de Divinópolis.

Na reunião da proxima quarta-feira (26), o projeto será lido em plenário e na reunião subsquente, no dia 2 de setembro, sera votado, precisando de dois terços dos votos.

O título foi concedido pelo então vereador, Cleitinho Azevedo (Cidadania)

 

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!