Proprietários e alunos protestam contra o fechamento das academias em Divinópolis


Segundo os organizadores da manifestação que foi realizada na tarde desta segunda-feira (10), por volta das 14 horas, estiveram presentes cerca de 300 pessoas que saíram da Praça da Catedral e seguiram pela Avenida Primeiro de Junho até o prédio da Secretaria de Saúde, na rua Minas Gerais.  O objetivo da manifestação é que Divinópolis ao ser inserido na onda amarela do programa do Governo do Estado, as academias foram obrigadas a fecharem novamente suas portas, já que estavam funcionando por deliberação do Comitê Municipal de Enfrentamento ao Covid.

O retrocesso causou revolta nos profissionais da área e mesmo nos alunos os usuários do serviço. Eles desceram a avenida gritando palavras de ordens contra as normas do Estado que estabelece o fechamento das academias, contudo, permite que os bares continuem abertos.

Cartazes escritos com frases, como: “A Saúde pede socorro”, “Academias promovem saúde”, “Academia é onda amarela”, “Academia é saúde”, “Diga não ao retrocesso”, foram alguns dos gritos de guerra durante a manifestação.

O vereador Roger Viegas (republicanos) esteve presentes na manifestação declarando apoio a classe. “Vamos ficar firmes nessa luta. Resistência é importante neste momento. Não podemos retroceder e o fechamento significa um passo atrás. Vamos lutar para manter as academias abertas e pedimos a sensibilidade e sensatez dos órgãos públicos responsáveis para nos ajudar neste momento. Não ao retrocesso! A academia é saúde”, declarou Roger Viegas.

O Vereador Eduardo Print Junior que também estava defendendo a categoria, mas depois que fez uma tremenda confusão em sua precipitação em revelar que Divinópolis estaria na onda verde e não amarela, não apareceu na manifestação.

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!