Com apoio de Domingos Sávio, é assinada ordem de serviço do PAC Divinópolis; obras retomam na próxima semana


Após 10 anos paralisada, as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) retomam na próxima segunda-feira (10), após a ordem de serviço ser assinada nesta quarta-feira (05), em solenidade no bairro Terra Azul.   

O evento contou com a presença do secretário nacional de Saneamento, Pedro Maranhão, do Deputado Federal, Domingos Sávio, e chefes do Executivo e alguns vereadores.   

Serão investidos R$ 16 milhões na pavimentação e construção de galerias de esgoto e rede de água pluvial dos bairros mais necessitados de Divinópolis. Com R$ 6.366.668,96 serão para as obras de drenagem e pavimentação nos bairros Terra Azul, Candidés, São Simão, Grajaú, Maria Peçanha, Quinta das Palmeiras e Costa Azul. Enquanto os R$9.027.370,68 serão aplicados na instalação de esgoto os bairros Jardinópolis, João Paulo II, Santo André, São Paulo, Itacolomi, dentre outros.  

Com suspeita de corrupção e histórico de empecilhos, o prefeito Galileu Machado garante que a fiscalização será intensa para que tudo aconteça dentro das normas. 

“Nós batalhamos tanto, são nove anos de promessas e conseguimos que fosse desencravada no Ministério do Desenvolvimento Regional. É interesse nosso que as obras sejam bem fiscalizadas”, afirma.   

O deputado Domingos Sávio explica que o processo até a concretização do retorno das obras foi intenso. Sem a parceria e luta do parlamentar em busca dos esforços, a obra continuaria estagnada.   

“Quando iniciei com o prefeito, passamos por quatro ministros, e esse contrato era considerado cancelado, porque havia uma portaria que dizia que obra paralisada há mais de dois anos, o convênio era considerado cancelado. Então tivemos que recuperá-lo, depois que fazer uma adequação dos projetos, licitar as obras e enquanto isso mudava de ministro, mudou de presidente e finalmente, conseguimos concluir em Brasília, que a fonte do recurso”.  

Para o secretário nacional de Saneamento, Pedro Maranhão, o contribuinte perde ao não ter o retorno do investimento feito em obras que ficam anos paralisadas.   

“Hoje é uma determinação do presidente da república que resolvamos todo o problema de obra parada, temos prioridade para solucionar a questão das milhares de obras paradas de infraestrutura, porque caro é a obra não ser concluída, isso que é caro para o contribuinte”, ressalta.  

As empresas ganhadoras da licitação e que serão responsáveis pela execução do projeto são a Emcobras e F.Abreu Construções, ambas de Pará de Minas.   

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!