Vereadora Janete garante que há “segregação” no ensino a distância em Divinópolis


Nessa quarta-feira (03) durante reunião ordinária na Câmara, a vereadora Janete Aparecida, afirmou que a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e que o corpo docente e pais precisam “se virar” para fazer com que o material escolar chega à criança.

“As escolas municipais, os diretores precisam se virar para enviar o material porque a Semed falou que ia mandar e não o fez. O diretor que se vire para chegar lá, que as mães e os pais dessas crianças se virem, até sem ter dinheiro de ônibus, para chegar até a escola e buscar o material. Sendo que a secretaria de Educação garantiu que a entrega seria feita pelos Correios, por agentes e nada disso foi cumprido. Foi jogado nas costas dos professores, dos diretores, como sempre fazem”, alegou.

Ainda segundo a parlamentar, as crianças, dos bairros considerados periféricos, estariam tendo prejuízos no ensino à distância. “Falar que a aula remota funciona? Não funciona. É necessária? É, mas para poder manter as crianças em casa para estudo leve, mas falar que substitui o professor? Nunca. O professor é insubstituível e educador, não é youtuber, não dá conta de ficar fazendo vídeo educacional, pais e mães não dão conta de ensinar seus filhos em casa”, garantiu em plenário.

Janete afirma que entende a situação atual no Brasil e que “estamos enfrentando o inimigo invisível”, que é a Covid-19, e que não pode falar como especialista no assunto do vírus, mas sim, na situação social. “São mais de 20 anos estando junto ao corpo carente, e que temos visto hoje, é uma segregação. São medidas que não chegam nos pobres, lugar que não tem internet. Vai no Copacabana e veja se o aluno da rede estadual ou municipal consegue acompanhar o ensino”, pede a vereadora.

A parlamentar ainda aborda um rompimento de contrato com professores contratados pela Semed no dia 29 de maio e garante que famílias passarão necessidades. “Na hora que o servidor da educação mais precisa, sabe o que foi dado para eles? Banana. Rua. Foi isso que fizeram com muitos profissionais da educação contratados e é triste a gente vir aqui para poder falar isso, vergonha para o município de Divinópolis.

O discurso de Janete chegou até a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que estaria “dormindo” enquanto a crise se alastra pela cidade. “Você acha que o problema é só com o servidor da educação? Nós temos que abrir diálogo para todos os segmentos, a exemplo dos motoristas de van, eles dependem das escolas e essas estão fechadas, não tem prazo para serem abertas. Eles precisam pelo menos sentar, serem recebidos, o que está fazendo o secretário de Desenvolvimento Econômico? Cadê o senhor para puxar essa rédea, essa discussão? O que tem feito em relação aos bares e restaurantes? Delivery e marmitex não sustentam essa classe. Se vai abrir, que estude uma forma de abrir para eles também, com distanciamento, horário reduzido, mas que isso seja estendido para todas as classes”, pede.

A vereadora afirma que todos os bairros passam por necessidade no momento, principalmente os sem infraestrutura, e enquanto isso não estaria havendo nenhuma ação da Secretaria de Desenvolvimento Social. “Secretaria de Esporte está lá para encher linguiça, que você viu de efetivo? O que você viu de planejamento por eles? Nada. Enquanto isso a gente cobra e é taxado de ruim”, afirma.

Para Janete todas as secretarias municipais deveriam mostrar o planejamento de combate ao Covid-19. “Por que só suspende contrato de professor? Tem que suspender Secretaria que não faz nada, suspender cargos comissionados delas, que só nos técnicos dão conta. A gente está colocando essa crise só na conta do trabalhador e empresários e não é justo”, finaliza.

De acordo com a Prefeitura de Divinópolis, em relação aos contratos, os professores estavam cientes que a data final era até maio e que a renovação ou novas contratações variam de acordo com a demanda da Secretaria de Municipal de Educação.

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!