Presidente do ABC ao falar de Desenvolvimento Econômico comparou Divinópolis ao Velho Oeste; “As autoridades não nos querem aqui”


Em entrevista concedida ao jornalista Luciano Eurides, da Radio Minas, o empresário Valdemar Amaral, do Supermercados ABC, que começou sua rede em Divinópolis, e   atualmente está presente em dezenas de cidades mineira, reclamou e muito, não somente da administração atual do prefeito Galileu Machado, mas da cidade de um modo geral, de como são históricos os entraves burocráticos no município, citando como um dos exemplos a dificuldade que foi a instalação da cervejaria Kaiser na cidade – O empresário lamentou que em outras cidades a receptividade e a atuação dos órgãos competentes atuam no sentido de facilitar as coisas enquanto em Divinópolis, que em consequência disso, ele adjetivou como Velho Oeste, dificultam as coisas. Contou que está para abrir um CD (Centro de Distribuição) que vai gerar 270 empregos, porém não tem oferta de terrenos, e que ninguém se interessou ainda, enquanto fora as coisas são mais fáceis.

Na entrevista, Valdemar afirmou que o país e o Estado estão mudando, e Divinópolis não está, que parou no tempo. Que a cidade precisa gerar empregos atraindo investimentos.

O empresário falou que Divinópolis parou no tempo. Alega que o Estado não está pagando, “eu sei, não está pagando ninguém, nenhuma prefeitura está recebendo, mas temos que pular, adiantar por que o dia que sair o dinheiro, ele será para fazer outras coisas.

Valdemar criticou também o fato de Divinópolis não ter voo para Campinas. A cidade é grande para não ter transporte aéreo, afirmou

Disse que está no Sul de Minas, depois de Uberaba agora está abrindo 4 lojas em Uberlândia, e a receptividade é outra, que são bem tratados. Citou uma frase de Paulo Piau, prefeito de Uberaba, “aqui papel não para. Já o Zé Eustaquio prefeito de Passos, falou que eu posso ir que serei bem recebido. Aprovei uma loja lá em seis meses. E ele disse “Pode começar a construir”, concluiu dizendo “É assim que se faz”.

“Já em Patos de Minas, contou que construiu um hiper, parecido com o de Divinópolis, que la tem restaurante, drogaria e que agora estou montando um posto de gasolina, tudo em um quarteirão só, e que deve gerar uns 300 empregos, gera renda, gera competição”.

Falou ainda que,  não existe nenhuma loja programada para ser inaugurada em Divinópolis: “Para o Velho Oeste, não”.

O repórter insiste, o instando: “Por que não no Velho Oeste?”

Ele responde que são pelas dificuldades. “Tem algum valor o empreendedor, tem alguma facilidade. Alguém se interessa que uma loja gere 100 empregos, 200 empregos”

O repórter volta a perguntar. Mas se o ABC desistir de Divinópolis? O empresário responde: “O ABC não está desistindo de Divinópolis, mas você tem que investir onde as coisas andem e se facilite as coisas. Você tem que estar onde o povo quer; Aqui as autoridades não querem que a gente esteja aqui. Eu não estou pedindo nada fora da legislação. Estou pedindo velocidade e facilidade”

E falou das suas agruras com a administração municipal: “Tenta falar com as autoridades aqui em Divinópolis?? Tenta falar, para ver quantos dias que você gasta, isso é antigo desde a época da Kaiser, a Kaiser para vir para Divinópolis foi um aborto, depois até foi embora – Mas é assim, é o estilo de governo de Divinópolis. É preciso de pensar fora da caixa, é só gestão, só isso”.

 

 

Com Portal MPA, (autorizada de Mayrink Pinto de Aguiar

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!