SAÍDA DOS CUBANOS: Divinópolis quebrada não tem dinheiro para pagar R$ 3 milhões para médicos do “Mais Médicos”


A decisão do Governo de Cuba, em retirar os médicos cubanos do programa “MAIS MÉDICOS”, em consequência das exigências feitas à ilha caribenha pelo Presidente eleito Jair Bolsonaro, causará um prejuízo de cerca de R$ 3 milhões aos cofres do município de Divinópolis, que terá que pagar aos 18 que deverão ser substituídos, com o “ônus” para a Prefeitura de R$ 3 milhões de reais por ano. Esse valor sobrepõe à economia de R$ 2, 5 milhões, com a decretação do Estado de Emergência – O secretário de saúde, Amarildo de Sousa foi categórico em dizer que o município não tem dinheiro para bancar um programa que era totalmente de responsabilidade do Governo Federal, e ainda que, o valor de R$ 3 milhões, já incluindo os encargos trabalhistas não foi provisionado no Orçamento para 2019.

Divinópolis, segundo o secretário de Saúde possui 18 médicos cubanos, que trabalham nas Unidades de ESF (Estratégia da Saúde da Família), nos bairros Rancho Alegre, Belo Vale, Nações, Santa Lúcia, Niterói, Jardinópolis, Sagrada Família, Lagoa dos Mandarins, Icaraí, Ermida, I e II, São José, Planalto I e II, São Paulo, Nova Holanda, Jusa Fonseca e Afonso Pena.

Amarildo é taxativo em dizer que o município diante da situação de emergência não consegue suportar. Além de não ter o valor de R$ 3 milhões no orçamento, teria que ser feito uma adequação, e mesmo assim, teria que efetivamente ter efetivamente o dinheiro.

“Hoje o impacto financeiro disso, seria em torno de R$ 3 milhões (incluindo os encargos trabalhistas) anuais, que atualmente é suportado pelo Governo Federal. Se isso vier para o município agravaria ainda mais nossa situação econômica”, afirmou Amarildo.

O secretário disse ainda que as vagas que são oferecidas pelo município, não são ocupadas por médicos que não pertencem ao programa Mais Médicos, e isso causaria um impacto assistencial, por que as unidades ficariam sem médicos, nesta fase de transição, até que fosse resolvido o processo seletivo.

Com um pensamento otimista, a previsão é que o edital fique pronto somente no mês de fevereiro. Porém, o secretário tem ainda a expectativa de que o Governo Federal tome algumas medidas que amenizem o impacto da saída dos médicos cubanos, e que seja o menos traumático para a população.    

Segundo a secretária de Fazenda Suzana Xavier, atualmente o gasto do município com os médicos cubanos, restringe-se ao pagamento do aluguel, de cada um deles, vale transporte, e alimentação. A questão, conforme declaração da secretária. Ela afirmou entender as justificativas do futuro Presidente da República e mesmo o entendimento do CRM. Porém, é a forma como aconteceu, “muito rápido, sem programação, deveria ser de forma mais gradativa. Por que o impacto para o município é muito grande, não tem nem previsão no orçamento”.

A secretária está preocupada de onde vai retirar os recursos para pagar os médicos, que a partir de então serão de total responsabilidade do município. Além da dificuldade que é repor um profissional, causando com isso uma desassistência.

Suzana avalia ainda que os médicos cubanos são comprometidos com a saúde pública. Toda população gosta deles. E que são importantes no processo de desafogar a UPA, já que eles trabalham preventivamente.

 

14 comentários em “SAÍDA DOS CUBANOS: Divinópolis quebrada não tem dinheiro para pagar R$ 3 milhões para médicos do “Mais Médicos”

  • 24 de novembro de 2018 em 12:02
    Permalink

    Uma cidade igual Divinópolis precisa de Mais Médicos?
    Não é um programa para abastecer de médicos locais periféricos? Cidades longínquas, lugares inóspitos e de difícil acesso?

    Divinópolis não se encontra nessa situação.

    Além disso, basta o Governo Federal oferecer os mesmos 10 mil reais mensais para médicos brasileiros, que eles vão pra qualquer lugar. Aliás, o governo Bolsonaro pelo visto vai nesse, irá resolver o problema.

    Resposta
    • 25 de novembro de 2018 em 07:43
      Permalink

      Já teve até a inscrição do PS para médicos brasileiros.

      Resposta
  • 22 de novembro de 2018 em 23:51
    Permalink

    Vem cá! O Bozo não era o melhor?

    Resposta
    • 25 de novembro de 2018 em 07:46
      Permalink

      O governo cubano que não aceitou as novas exigências que uma delas era os médicos cubanos poderem trazer as famílias para o Brasil 😉

      Resposta
  • 21 de novembro de 2018 em 17:14
    Permalink

    O secretario disse 3.000.000 por ano e não por mês. Contudo, vamos aguardar para ver o resultado deste episódio.

    Resposta
  • 20 de novembro de 2018 em 13:04
    Permalink

    Já era previsto a caos na saúde…

    Resposta
  • 20 de novembro de 2018 em 10:38
    Permalink

    O governo de Bolsonaro já estuda outras opções que substituirá os médicos cubanos que deixaram o país por birrinha do governo comunista de Cuba. E pelo que sei será mais eficiente do que antes com os cubanos, pois muitos desses supostos “médicos cubanos”, que deixaram o país tão precocemente poderiam nem ser médicos realmente com formação, como já era de conhecimento da inteligência de agências Federais Brasileiras, o que explicaria o motivo dessa saída rápida uma vez que poderiam ser desmascarados ao passarem pelo revalida, pois aqueles que realmente são médicos não deixarão o país como eles mesmos já disseram e farão o exame com prazer de serem aceitos com salários integrais.

    Resposta
    • 25 de novembro de 2018 em 07:51
      Permalink

      Lembrando que foi autorizado pelo futuro governo, que poderiam ficar no Brasil se quisessem.

      Resposta
  • 20 de novembro de 2018 em 07:39
    Permalink

    Faltou o secretário Amarildo e secretária Suzana informarem com mais detalhes quanto os contribuintes divinopolitanos pagam por cada cubano lotado no município.se dividir 3milhões por ano temos 250 mil reais por mês que divididos por 18 pseudomedicos cubanos chegamos a mais ou menos 14mil reais mês de custos operacionais!!!!DIVINEWS essa conta não fecha!!!!a população merece maiores esclarecimentos!!!!!

    Resposta
  • 20 de novembro de 2018 em 01:56
    Permalink

    eu admiro estes medicos que deixaram a tortura e viveram algums anos com alegria.
    Eles nao escolhem lugar, sempre atenciosos e dispostos a usar as aportunidades de aperfeicoamento. Que Deus os abencoe pelo servicos prestados Espero que a Liberdade um dia possa sobreviver no seu pais.

    Resposta
  • 19 de novembro de 2018 em 22:57
    Permalink

    Pois é, senhores secretários, fica a pergunta: os senhores trabalhariam para receber 30% de seus salários e devolver 70% para a prefeitura?
    “Pimenta no olho dos outros é refresco”

    Resposta
  • 19 de novembro de 2018 em 22:55
    Permalink

    Tem algo de estranho e de incompatibilidade de valores apresentados pela secretaria de saúde.
    Três milhões (R$3.000.000,00) para desmobilizar 18 profissionais da saúde!
    Tem alguém levantando honorários por fora!
    Ah tem!
    Mais uma vez o chamado “gestor do serviço público”, chutando informações, sem qualquer comprovação ou estudo prévio.

    Resposta
  • 19 de novembro de 2018 em 21:25
    Permalink

    Pois é, falta de aviso não foi!!
    Depois dizem que é culpa do PT!
    Divinópolis votou em peso no Bolsonaro!

    Resposta
    • 25 de novembro de 2018 em 07:56
      Permalink

      Mas a culpa é! Acompanhe todas as informações do processo que chegará ao resultado. 😉

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!