“Reclamaram de Vladimir e cometem mesmo erro; querem fechar CMEI e colocar crianças em risco de bullying e abuso sexual”, disse uma professora


Parece que mudaram somente os atores, o estilo de gestão, pelo menos na educação permanece o mesmo da administração do ex-prefeito de Divinópolis,  Vladimir Azevedo, quando a ex-secretária de educação da administração anterior, Rose Lasmar, quis fechar o Cmei do Terra Azul, o Maria Lúcia Gregório, e teve que enfrentar uma grande resistência por parte das mães dos alunos e da comunidade como um todo, que na ocasião falaram sobre a distância que as pequenas crianças teriam que percorrer, além dos riscos de se misturarem com jovens pré-adolescentes, e instalações inadequadas – O tempo passou, Vladimir saiu e Galileu foi eleito e assumiu. E não é que Vera Prado, secretária de Educação nomeada pelo peemedebista, que tomar a mesma decisão. E desta vez, diferente da anterior, a própria diretora do Cmei, segundo informações, está apoiando a transferência – E as mães revoltadas e angustiadas com a ideia chegaram a criar um grupo de Whatsapp “Mães Unidas pelo Cmei”, para debaterem a situação. Um dos pontos mais críticos é a mistura em um mesmo espaço de crianças pequenas com jovens pré-adolescentes. Que elas sofram assédio moral, bullying, e até mesmo sexual pela faixa etária das crianças da Escola Municipal Antonieta Fonseca para onde serão deslocadas as crianças do CMEI – Segundo fonte, a secretária de Educação, Vera Prado, não está muito distante das decisões ditatoriais de suas antecessoras, dizem que nada é conversado e consensado, tudo é imposição – Em consequência do meio período de funcionamento da Prefeitura, o Divinews não tem o contraditório da SEMED – Será que Galileu está esquecendo das promessas de campanha? 

ATUALIZAÇÃO: Após a publicação da matéria do Divinews, recebemos algumas denúncias sobre a SEMED, de que a secretária, Vera Prado, persegue quem trabalha com responsabilidade e que “apaga” as pessoas competentes, segundo a denunciante, “para garantir o seu salário”.

Após publicação, a Diretoria de Comunicação da Prefeitura enviou a seguinte nota:

Nota à imprensa
Divinópolis, 1º de dezembro 2017 – A mudança para Escola Municipal Antonieta Fonseca foi apresentada no ano passado às comunidades escolares. A unidade que irá receber as crianças foi preparada para isso, com entradas independentes e melhor infraestrutura. Hoje, o Centro Municipal da Educação Infantil (CMEI), Maria Lúcia Gregório, no bairro Terra Azul, funciona em uma casa temporária, sem nenhuma condição pedagógica.
A Escola Municipal Antonieta Fonseca tem capacidade e instalações melhores para um ensino público de qualidade, com salas amplas ventiladas, adequadas e adaptadas para a educação infantil, além de estrutura maior, e a instalação de um parquinho para atividades lúdicas com as crianças. Vale ressaltar, que as crianças com 5 anos, também da Educação Infantil, já estudam na instituição. Todos os 30 alunos encaminhados do Cmei estudarão na parte da tarde.

 

Na imagem ilustrativa,  João Renato, que era secretário adjunto da administração passada, era o bombeiro da secretária.

 

5 comentários em ““Reclamaram de Vladimir e cometem mesmo erro; querem fechar CMEI e colocar crianças em risco de bullying e abuso sexual”, disse uma professora

  • 9 de fevereiro de 2018 em 10:21
    Permalink

    Tiram das crianças e pagam o comissionado;a politica de Divinópolis e uma máquina de produzir criminosos.
    Pois n mantem o básico…saúde e educação.

    Resposta
  • 5 de dezembro de 2017 em 11:24
    Permalink

    Essa atual secretaria realmente persegue as trabalhadores honestos e de responsabilidade. Fora que já é aposentada com grande salário e ainda idosa que tira oportunidade de outras pessoas mais jovens com pensamentos atualizados de estar no mercado.

    Resposta
  • 4 de dezembro de 2017 em 10:45
    Permalink

    Bando de safados pilantras que melhoria.até agora não vi melhoria nenhuma naquela escola. a não ser um parquinho improvisado que vai dar e muita dor de cabeça.

    Resposta
  • 1 de dezembro de 2017 em 14:28
    Permalink

    Tem muito interesse por trás desse descaso com nossas crianças.

    Resposta
  • 1 de dezembro de 2017 em 14:23
    Permalink

    São crianças sendo usadas para tapar buraco e encher salas que estão vazias.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!