Bom Despacho reduz índice de dengue de 14,3% para 2,3%


Bom Despacho registrou o menor índice de infestação de dengue dos últimos três anos, 2,3%. Em janeiro, o percentual chegou a 14,3%, maior da região – O índice caiu 12% em poucos meses – “Isto só foi possível porque a população atendeu ao apelo incansável dos nossos agentes e eliminou a água parada”, comemora o gerente de Endemias, Fernando Júnior. O risco de epidemia continua. Por isso, todos devem continuar em alerta. “Avançamos muito, mas ainda não atingimos o ideal que é 1%”, completa.

Cidadão deve continuar combate ao Aedes aegypti – O cidadão deve eliminar a água parada e qualquer objeto que possa se transformar em criadouro. A atenção deve ser redobrada com ralinhos, vasos de plantas, caixas d´água que ficam no chão, bebedouros de animais, reservatórios de geladeiras e caixinhas de gordura. Estes foram os locais onde os agentes mais acharam focos.

100% dos focos estão dentro das casas – para fazer a pesquisa de infestação da dengue, os agentes de endemias dividem os 53 bairros da cidade em 43. Destes, 19 apresentaram índice acima do ideal: Santa Ângela (9%), JK (8,7%), Jardim dos Anjos (8,4%), Simeão Ferreira (6,7%), Novo Dom Joaquim (6,3%), Santa Marta (5,6%), São Francisco (5%), Rosário II (4,8%), Novo São Vicente (4,4%), Ozanan (4%), Aeroporto I (4%), Jaraguá (3,9%), Novo Horizonte (3,4%), Fátima (3,3%), Esplanada (3%), Cruz do Monte (2,8%), Babilônia (2,7%), além da do Aeroporto II, Novo São José e São José, com 2,5%. “Os agentes estão trabalhando em toda a cidade e reforçando as visitas nas regiões onde foram encontrados mais focos”, completa Júnior.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.