PSB e MDB se unem para criar uma terceira via em Minas Gerais; e Jaime Martins (PROS)?


Conforme matéria publicada no Jornal “O Tempo”, o PSB e o MDB fecharam acordo para criar uma terceira via na disputa pelo governo de Minas Gerais. Segundo fontes do O Tempo, dos dois partidos, outras três siglas participam da coligação para a disputa pelo governo de Minas Gerais, que terá Marcio Lacerda como candidato a governador e um vice do MDB ainda a ser indicado – E o que será feito do deputado federal Jaime Martins? que até então era o cotado para ser o vice de Márcio Lacerda, que o recebeu em várias ocasiões em Divinópolis.

Ainda conforme “O Tempo”, entre os mais cotados do MDB estão os deputados Adalclever Lopes, Fabio Ramalho, Leonardo Quintão e o presidente da comissão provisória do MDB em Minas, Saraiva Felipe. As candidaturas para o Senado serão decididas depois de uma conversa prevista com o governador Fernando Pimentel a ser realizada até esta quinta-feira.

Majoritariamente os diretórios estaduais e 90% das bancadas federais e estaduais, já consultados, concordaram com a coligação.

Por parte do PSB, apenas o deputado Julio Delgado resiste ao acordo. Com a decisão “consumada” por ampla maioria, os emedebistas procuram aparar as arestas para chegar com unanimidade a convenção marcada para o dia 4 de agosto.

Lacerda já comunicou à cúpula do partido a irrevogabilidade da decisão, que conta com o apoio de 90% dos quadros estaduais. O ex-prefeito não aceita compor com PSDB para vice ou Senado, e deixou as portas abertas para compor com o PT.

Segundo apurado, haverá encontro com o governador Fernando Pimentel ainda nesta quarta para tentar uma composição com o PT e ao menos deixar um pacto de não agressão que possa levar a uma união no segundo turno.

Os emedebistas afirmam ter chegado à conclusão após pesquisas e avaliação realizadas nos últimos dias que apontam para um crescimento da rejeição do governo petista, em rota de colisão por causa da crise financeira, com prefeituras, servidores e setores da segurança pública.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.