MAIS UM CASO DE ESTUPRO EM CAJURU: Policia Civil identifica adolescente suspeito de estupro de vulnerável no meio virtual


A Polícia Civil de Minas Gerais, nessa terça-feira (16), identificou um adolescente, de 17 anos, suspeito de cometer estupro de vulnerável no meio virtual – Ele foi conduzido e interrogado na 4ª Delegacia de Polícia Civil em Carmo do Cajuru. As investigações iniciaram na terça-feira (16), quando familiares de uma criança, de 11 anos, noticiaram a Polícia Civil de que um indivíduo, até então não identificado, teria criado um perfil falso na rede social Facebook e, após obter a confiança da vítima, passou a solicitar fotos nuas, além de enviar fotos de seu órgão sexual para a criança. O suspeito ainda mantinha conversas de conteúdo sexual explícito com a vítima.

[10:59, 18/1/2018] +55 37 9908-8259: Ele foi conduzido e interrogado na 4ª Delegacia de Polícia Civil em Carmo do Cajuru. As investigações iniciaram na terça-feira (16), quando familiares de uma criança, de 11 anos, noticiaram a Polícia Civil de que um indivíduo, até então não identificado, teria criado um perfil falso na rede social Facebook e, após obter a confiança da vítima, passou a solicitar fotos nuas, além de enviar fotos de seu órgão sexual para a criança. O suspeito ainda mantinha conversas de conteúdo sexual explícito com a vítima.

Segundo o Delegado, o investigado também realizava ligações para a criança por meio do aplicativo WhatsApp. Uma equipe de policiais civis compareceu à residência do adolescente, onde foram apreendidos o aparelho telefônico e o computador do suspeito. O investigado, na companhia da responsável legal dele, foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos, onde confessou os fatos análogos ao crime de estupro de vulnerável.

Conforme o Delegado Dr. Weslley Castro, “embora a prática do delito de estupro virtual de vulnerável seja comum, somente em agosto do ano passado ocorreu a primeira prisão relacionada ao crime no Brasil. No caso de Carmo do Cajuru, como não houve flagrante e não existe Centro Socioeducativo na cidade, o adolescente, após prestar declarações, foi devidamente liberado”.

Em vistoria prévia dos dispositivos apreendidos, os policiais civis identificaram pelo menos mais oito vítimas, todas menores de idade, motivo pelo qual as investigações prosseguem para mais esclarecimentos.

Veja o outro caso

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.