Queimadas afetam 200 mil clientes da Cemig em 2023

Publicado por: Lorena Moura

As queimadas são grandes causadoras de problemas no setor elétrico, além de prejudicarem a qualidade do ar, a flora e a fauna. Em 2023, essa prática provocou 442 incidentes na rede elétrica da Cemig, afetando o fornecimento de energia para 200 mil clientes. Durante o período seco do ano, as queimadas tendem a se intensificar.

No ano passado, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), a Cemig registrou 71 ocorrências de queimadas, prejudicando quase 39 mil clientes. Este ano, de janeiro a maio, na RMBH, houve 11 interrupções no serviço, impactando cerca de mil unidades consumidoras.

Continua depois da publicidade

Para reduzir o número de acidentes provocados por queimadas e conscientizar a população sobre os riscos dessa prática, a companhia realiza campanhas educativas constantes por meio de veículos de comunicação, redes sociais e entidades.

É importante destacar que fazer queimadas pode ser considerado crime, levando à prisão dos responsáveis. Uma ocorrência na rede elétrica pode deixar hospitais, comércios e escolas sem energia elétrica.

O engenheiro de Sustentabilidade da Cemig, Demetrio Aguiar, explica os danos que os incêndios podem causar à rede elétrica e os prejuízos para a população.

“As chamas danificam equipamentos como postes, cabos e torres, tornando o restabelecimento do serviço mais demorado e causando transtornos para os clientes. Além disso, o alto volume de fumaça pode causar sérios danos à saúde, especialmente nesta época do ano, quando doenças respiratórias são mais comuns. As pessoas precisam se conscientizar dos impactos de suas ações, pensar coletivamente e evitar iniciar focos de incêndio que podem se espalhar e causar grandes estragos”, alerta.

Demetrio Aguiar também destaca que a maior parte dos focos de incêndio é causada por ação humana. “Por isso, a companhia procura reduzir desligamentos provocados por queimadas que atingem o sistema elétrico, alertando a população sobre os riscos e consequências, especialmente nesta época do ano, caracterizada por baixa umidade e vegetação seca”, ressalta.

Dificuldade de acesso prejudica atuação da Cemig

De acordo com Demetrio Aguiar, os equipamentos da rede elétrica expostos às queimadas têm seu funcionamento prejudicado, podendo causar desligamentos de linhas de transmissão, de distribuição e subestações, além de graves acidentes com pessoas próximas a essas áreas.

“Um dos maiores desafios para as equipes de campo é chegar ao local da ocorrência para fazer o reparo. Normalmente, são locais de difícil acesso e em áreas rurais muito amplas. Levar estruturas pesadas, como torres e postes, em áreas acidentadas, torna ainda mais complexa a manutenção das redes danificadas pelas queimadas”.

Atuação preventiva e medidas de segurança

Para minimizar ocorrências deste tipo em sua área de concessão, a Cemig realiza ações preventivas constantes, investindo na limpeza de faixas de servidão, com poda de árvores e arbustos, além da remoção da vegetação ao redor dos postes e torres. A companhia também realiza inspeções em suas linhas de transmissão, para identificar e mitigar riscos potenciais, tentando evitar ocorrências causadas por queimadas. Somente em manutenção preventiva, a Cemig está investindo R$ 311 milhões em toda a sua área de concessão.

Algumas medidas simples podem ser tomadas pela população para conter os riscos. As pessoas devem apagar com água o resto do fogo em acampamentos para evitar que o vento leve as brasas para a mata e não jogar pontas de cigarros acesas na estrada ou em áreas rurais.

Outra atitude consciente é não deixar garrafas plásticas ou de vidro expostas ao sol em áreas com vegetação, pois esses materiais podem criar focos de incêndio. Existem restrições para a realização de queimadas mesmo quando permitidas por lei: não devem ser realizadas a menos de 15 metros de rodovias, ferrovias e do limite das faixas de segurança das linhas de transmissão e distribuição de energia. A Cemig lembra que é proibido o uso de fogo em áreas de reservas ecológicas, preservação permanente e parques florestais.

Em caso de incêndios, a Cemig (116) e o Corpo de Bombeiros (193) devem ser avisados o mais rápido possível. Vale destacar que todos podem denunciar a prática de queimadas ilegais, de maneira anônima, ligando gratuitamente para o telefone 181.

Tecnologia contra o fogo

A Cemig investe na tecnologia do projeto Apaga o Fogo!, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Por meio da plataforma online www.apagaofogo.eco.br, que disponibiliza imagens em tempo real, a empresa e qualquer usuário voluntário podem identificar focos de incêndio em sua fase inicial.

Essas imagens são processadas por algoritmos de inteligência artificial que validam focos de fumaça e monitoram a evolução de um incêndio. A plataforma também permite a participação de internautas, que podem se cadastrar e ajudar na identificação dessas queimadas.

Entre no grupo do Whatsapp do Divinews e fique por dentro de tudo o que acontece em Divinópolis e região

comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estamos felizes por você ter escolhido deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de privacidade.

Continua depois da publicidade