Músico Kiko Lara é agredido com spray de pimenta pela Polícia Militar; População de Itapecerica cobra esclarecimentos do comando da corporação


A população de Itapecerica representada pela esposa do músico Kiko Lara denuncia que no último domingo (30), por ocasião da vitória de Lula nas urnas, ao comemorarem a vitória do petista foram agredidos com spray de pimenta por cerca de 15 policiais. Segundo seu relato sem que houvesse qualquer motivo justificável para tal ação truculenta, já que eles estavam munidos de alvará para realização das comemorações na Praça do Coreto e que não houve nenhuma baderna e nem ofensas a força policial somente gritavam palavras de ordem referentes a vitória de Lula e a derrota de Bolsonaro.

De acordo com o jornalista Danilo Moreira, profissional que atua naquele município, a cronologia dos fatos foi que, por volta das 21 quando os petistas já estavam no local, chegou um aparato de aproximadamente 15 policiais, quase todos não residentes em Itapecerica e que nunca foram vistos na cidade, apenas um era morador de lá.

Uma parte dos simpatizantes do presidente eleito Lula estava ocupando o coreto quando os policiais chegaram. E logo eles “pediram” que eles deixassem aquele local pois lá eles ficariam fazendo o policiamento, por ter visibilidade de toda praça.

Eles então descolocaram o equipamento de som do coreto para o chão e continuaram as comemorações com a participação de famílias inteiras, com idosos e crianças.

“Já por volta de meia noite, com o som desligado por determinação policial e com um número menor de populares na festa, os policiais militares soltaram o “gás de pimenta” de maneira totalmente arbitrária e agressiva. Não houve qualquer fato, agressão física ou verbal, que motivasse tal ato. O que teria feito os policiais, capitaneados pelo Sr. Tenente Soares, dispersar o gás lacrimogêneo em famílias, idosos, casais e crianças teria sido a frase “ei polícia, o Lula é uma delícia” – frase dita por alguns e que, no entendimento geral, não representou qualquer ofensa ou hostilidade”, relatou o jornalista local.

Danilo em seu texto diz que a partir de então, “a praça do Coreto em Itapecerica virou um show de horrores com a ação policial, que contava com um efetivo entre 10 e 15 membros. Ainda sem qualquer esclarecimento da motivação daquele ato ou qualquer crime que pudesse ter sido cometido, dois indivíduos foram presos arbitrariamente, sendo um deles professor da rede pública de ensino”.

O teor do texto de Danilo seguiu: “Por meio de gestos totalmente descabido, a Polícia Militar de Minas Gerais conduziu toda a situação de maneira totalmente questionável. O responsável pela operação, Sr. Tenente Soares, ao ser questionado pelos Itapecericanos presentes sobre o que havia acontecido, recusou-se a responder qualquer pergunta e disse que não daria entrevistas”.

“Estavam presentes funcionários da Prefeitura Municipal e da Câmara Municipal, que também não obtiveram qualquer resposta clara sobre o que teria acontecido”.

O jornalista encerrou seu texto:  “Ao final da situação, por volta de 01h00, viaturas da Polícia Militar de Minas Gerais partiram da Praça do Coreto com pelo menos dois indivíduos presos ao parecer geral de forma arbitrária e incoerente, fora os demais atingidos pelo forte gás de pimenta. Jovens, casais e idosos.

Ao editor do Divinews, Geraldo Passos, Tânia Gondim confirmou todos os fatos narrados pelo jornalista de Itapecerica, acrescentando que Kiko Lara foi atingido no olho com spray de pimenta e teve que ficar por cerca de três horas no hospital para fazer lavagens constantes do globo ocular e pingando colírios especiais. E ainda que, ela vomitou além de outras pessoas. Frequentadores dos bares ao redor da Praça do Coreto  foram atingidos e também passaram mal.

O prefeito Wirley Reis (Teko), na ocasião não estava na cidade e até então não foi tomada  nenhuma providência para apurar o que aconteceu no município que ele administra. Sinaliza querer passar ao largo de polêmica, ou o município em sua ausência ficou a deriva, sem ninguém no comando.

O Divinews entrou em contato com a Comunicação da Policia Militar que tomou conhecimento do ocorrido pela leitura do texto à ela. E o espaço segue aberto para manifestação do contraditório do comando da PMMG.

 

Um comentário em “Músico Kiko Lara é agredido com spray de pimenta pela Polícia Militar; População de Itapecerica cobra esclarecimentos do comando da corporação

  • 1 de novembro de 2022 em 22:47
    Permalink

    Kiko Lara sempre lutou e luta pela arte e justiça social. Esteve a frente de seu tempo e representa, até hoje, o que há de mais honesto na música. Kiko Lara é essencial. Obrigado Kiko!

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1  +  2  =