Em oficio, Daniela Dias Vasconcelos, diretora de Atenção à Saúde da Prefeitura de Divinópolis tenta coagir agentes de saúde e de combates a endemias


Conforme informações do sindicato da categoria dos servidores públicos municipais de Divinópolis, (SINTRAM), os mais de 450 Agentes de Saúde e de Combate à Endemias de Divinópolis foram surpreendidos nesta segunda-feira (8) com o conteúdo do ofício circular DAPS-SMS Nº 602/2022, encaminhado a todos os supervisores de Unidades de Atenção Primária. A origem do ofício é a Diretoria de Atenção à Saúde, da qual é titular Daniela Dias Vasconcelos, que não é servidora de carreira. Daniela faz parte do grupo de 60 ocupantes de cargos comissionados, indicados pelo prefeito Gleidson Azevedo (PSC), irmão do deputado estadual Cleitinho Azevedo, que é candidato a senador.

O conteúdo do documento tem como objetivo intimidar os Agentes, que estão mobilizados em defesa do piso salarial de R$ 2.424, que não foi respeitado na folha de pagamento de julho. O ofício endereçado aos supervisores das Unidades de Atenção Primária alerta em tom de ameaça que “(sic)… a paralisação é uma suspensão temporária do trabalho que tem como causa o interesse dos trabalhadores, porém o descumprimento do aviso prévio da paralisação configura como abuso do direito de greve”. Diz ainda que “toda decisão de paralisação sem aviso prévio e total, que acarrete impacto assistencial, visto que se configura crime contra a saúde pública”.

Veja o teor completo do ofício

OFÍCIO DAPS-SMS Nº 602/2022Divinópolis, 08 de Agosto de 2022.

Senhores(as) Supervisores(as) de Unidades de Atenção Primária à SaúdeAssunto: Solicitação de informações sobre paralisações de servidores

Prezados(as) Senhores(as),

Com os cordiais cumprimentos, sirvo-me do presente para prestar informações sobre paralisação de servidores da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

É sabido que a paralisação é uma suspensão de temporária do trabalho que tem como causa o interesse dos trabalhadores, porém o descumprimento do aviso prévio da paralisação configura como abuso do direito de greve.

Dessa forma, cabe à chefia imediata da equipe assistencial em saúde, informar toda decisão de paralisação sem aviso prévio e total, que acarrete impacto assistencial, visto que se configura crime contra a saúde pública.

Diante do exposto, coloco-me à disposição para quaisquer esclarecimentos necessários, e no ensejo, reitero nossos votos de elevada estima e distinta consideração.

Respeitosamente,

Daniela é a que está de calça comprida vermelha

 

5 comentários em “Em oficio, Daniela Dias Vasconcelos, diretora de Atenção à Saúde da Prefeitura de Divinópolis tenta coagir agentes de saúde e de combates a endemias

  • 10 de agosto de 2022 em 19:32
    Permalink

    Essa é incompetente e irresponsável. Ela e sua companheira Simone são horríveis de serviço e se acham. Pior gestão da Atenção Primária até hoje. mas nos corredores todos sabem o motivo dela estar lá.

    Resposta
  • 10 de agosto de 2022 em 09:01
    Permalink

    E SEGUE A CARRUAGEM DAS IMBECILIDADES DA ATUAL ADMINISTRAÇÃO.
    E VIVA A LEI DO MANDA QUEM PODE E OBEDECE QUEM TEM JUÍZO.
    TUDO DANTES NA QUARTEL DE ABRANTES ( OU DOS AZEVEDOS).
    E CADÊ A CPI DA EDUCAÇÃO??????
    JÁ TÔ COMEÇANDO A SENTIR SAUDADES DO VEINHO.

    Resposta
  • 10 de agosto de 2022 em 07:15
    Permalink

    Me parece mais desperto e despreparo, pois o sindicato notificou a prefeitura com mais de 72 horas. Acorda Daniela

    Resposta
  • 9 de agosto de 2022 em 20:04
    Permalink

    Será que com a enfermagem será o mesmo procedimento?

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

9  +  1  =